Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/1200
Tipo do documento: Tese
Título: Incêndios florestais e queimadas no Amazonas: distribuição, suscetibilidade e emissões de carbono
Autor: Vasconcelos, Sumaia Saldanha de 
Primeiro orientador: Fearnside, Philip Martin
Primeiro coorientador: Graça, Paulo Maurício Lima de Alencastro
Primeiro membro da banca: Brown, Irving Foster
Segundo membro da banca: Barbosa, Reinaldo Imbrozio
Terceiro membro da banca: Pinheiro, Eduardo da Silva
Quarto membro da banca: Correa, Francis Wagner Silva
Quinto membro da banca: Luizão, Flavio Jesus
Resumo: Na Amazônia, o fogo é um dos mais importantes agentes de distúrbios por sua conexão com as atividades de uso da terra, composição atmosférica e ciclo global do carbono. Os resultados apresentados neste estudo fornecem informações substanciais sobre regime e comportamento do fogo e interações com o uso da terra e componentes meteorológicos, além dos impactos decorrentes de incêndios florestais na biomassa e emissões de carbono no Amazonas. No Capítulo 1, séries temporais de focos de calor, desmatamento e de chuva, derivadas de dados de satélites foram utilizadas para determinar a distribuição temporal e espacial de fogo no Amazonas evidenciando os padrões sazonais de cada variável e interações com a queima de biomassa. No sul do Amazonas foram detectados 60% dos focos de calor com grande variabilidade temporal mensal e anual. Entre 95% e 99% dos focos foram registrados durante o período de maior atividade de fogo (julho a março) com picos nos meses de agosto, setembro e outubro, coincidindo com os meses de menor precipitação. A atividade de desmatamento ocorre cerca de três meses antes do início da atividade de fogo. Os focos de calor não apresentaram relação linear com a área desmatada (p = 0.294, r² = 0.002, n = 68, dados do DETER; p = 0.357, r² = 0.000, n = 10, dados do PRODES), mas forte relação inversa com a precipitação (p < 0.001, b = -0.009, n = 120), com marcante sazonalidade e variabilidade anual, padrões espacialmente próximos e temporalmente dinâmicos ao longo do tempo. No Capítulo 2 foram determinadas as condições meteorológicas nas quais ocorre o maior número de eventos de fogo na vegetação do sul do Amazonas em um ano de seca normal (2004) e em um ano de seca severa (2005), potencializada por anomalia climática. No ano de seca severa, a área do sul do Amazonas suscetível ao fogo foi 83% maior do que em 2004. Em 2004 e 2005, 48% e 79%, respectivamente, das células com focos de calor atenderam simultanemente as condições meteorológicas propícias à combustão vegetal, com precipitação acumulada mensal inferior a 100 mm, temperatura média do ar maior que 24°C, e umidade relativa do ar inferior a 65%, principalmente em agosto e setembro. O número de focos de calor detectados em 2005 foi mais que duas vezes o valor de 2004. As condições meteorológicas apresentaram tendência de separação entre os anos, mas não entre as áreas com e sem focos de calor (PC1 = 48%, PC2 = 22%). Os parâmetros meteorológicos apresentaram valores bastante preditivos para ocorrência de fogo no Amazonas (b = 0,83; p < 0,001; EP = 0,13; n = 8). O Capitulo 3 apresenta estimativas de áreas de florestas afetadas por incêndios ocorridos em 2005 nos municípios de Boca do Acre e Lábrea (sul do Amazonas) e da perda de biomassa, estoque de carbono e das emissões comprometidas pelo aumento da mortalidade de árvores em decorrência do fogo. Cicatrizes de fogo observadas nas imagens do satélite Landsat TM-5 de 2004-2006 foram interpretadas visualmente e digitalizadas. Foram mapeados ~865,6 km² de floresta afetada pelo fogo, a maioria (2,9% da cobertura florestal total) concentradas ao longo das bordas sul dos municípios que fazem fronteira com os estados de Rondônia e Acre. A maior perda de biomassa em função do aumento na mortalidade de árvores ocorreu quatro anos após o fogo: 4,5 × 106 Mg (total) e de 3,7 × 106 Mg (acima do solo). Consequentemente, 2,2 × 106 Mg C (total) e 1,8 × 106 Mg C (acima do solo) das emissões potenciais de carbono foram comprometidas a partir da queima inicial da biomassa florestal e das árvores mortas pelo fogo. Emissões ocorrerão por meio da oxidação da biomassa morta por decomposição ou pela combustão, em eventos de fogo subsequentes. Incêndios afetam extensas áreas de floresta e podem emitir quantidades significativas de carbono para a atmosfera, em períodos de seca severa.
Abstract: In Amazonia, fire is one of the most important disturbance agents through its connection with the land-use activities, atmospheric composition and the global carbon cycle. The results presented in the present study provide substantial information about the patterns and behavior of fire and its interactions with land use and meteorological components, as well as the impacts of forest fires on biomass and carbon emissions in Brazil&#8223;s state of Amazonas. In Chapter 1 time series are derived from satellite data for hotspots, deforestation and rain, and these are used to determine the temporal and spatial distributions of fire in Amazonas. The seasonal patterns of each variable are determined together with their interactions with biomass burning. Of hotspots detected in the state of Amazonas, 60% were in the southern part of the state (with great temporal variability on both monthly and yearly timescales). Between 95% and 99% of the hotspots were recorded during the burning highest activity period (July to March) with peaks in frequency between August and October (the period of the year with the lowest precipitation). Deforestation activity occurs approximately three months before the start of the burning activity. The number of hotspots showed no linear relationship with the area deforested (p = 0.294, r² = 0.002, n = 68, DETER data; p = 0.357, r² = 0.000, n = 10, PRODES data), but strong inverse relationship with precipitation (p < 0.001, b = -0.009, n = 120). Hotspots are clustered in areas undergoing deforestation. There is marked seasonal and annual variability, with patterns changing over time. In Chapter 2 we determined the meteorological conditions under which the largest number of fire events occurs in southern Amazonas in a dry year (2004) and in a year (2005) with a severe drought that was provoked by a climate anomaly. In the year with the severe drought the spatial extent of the area in the southern part of the state of Amazonas that was susceptible to fire was 83% greater than in. In 2004 and 2005, 48% and 79%, respectively, of the cells with hotspots had weather conditions that were conducive to combustion, with monthly rainfall below 100 mm, average air temperature greater than 24°C, and relative humidity less than 65% (mainly in August and September). The number of hotspots detected in 2005 was more than twice the number detected in 2004. Meteorological parameters showed a tendency to differ between years, but not between areas with and without hotspots (PC1 = 48%, PC2 = 22%). Meteorological parameters showed values quite predictors of fire occurrence in the state of Amazonas (b = 0,83; p < 0,001; EP = 0,13; n = 8). Chapter 3 presents estimates areas affected by forest fires that occurred in 2005 in the municipalities of Boca do Acre and Lábrea (in the southern portion of the state of Amazonas) and presents estimates of loss of biomass and carbon stocks, as well as estimates of committed emissions from increased mortality of trees as a result of the fire. Fire scars observed on Landsat TM-5 satellite images from 2004-2006 were interpreted visually and were digitalized. We mapped ~865,6 km² of forest affected by fire, most (2.9% of the total forest cover) was concentrated along the southern borders of the municipalities bordering the states of Rondônia and Acre. The greatest loss of biomass due to an increase mortality of trees occurred four years after the fire: 4.5 × 106 Mg (total) and 3.7 × 106 Mg (above ground). Consequently, 2.2 × 106 Mg C (total) and 1.8 × 106 Mg C (above ground) of potential carbon emissions were committed from the initial burning of forest biomass and from the trees killed by the fire. Emissions occur through oxidation of dead biomass either by decomposition or by combustion. Forest fires affect extensive areas of forest and can emit significant quantities of carbon into the atmosphere in periods of severe drought.
Palavras-chave: Fogo
Queima de biomassa
Floresta Amazônica
Sensoriamento remoto
Efeito estufa
Aquecimento global
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTAL::MANEJO FLORESTAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Manejo florestal, Silvicultura
Programa: Ciências de Florestas Tropicais
Citação: VASCONCELOS, Sumaia Saldanha de. Incêndios florestais e queimadas no Amazonas: distribuição, suscetibilidade e emissões de carbono. 2012. 91 f. Tese (Doutorado em Manejo florestal, Silvicultura) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/1200
Data de defesa: 23-Nov-2012
Aparece nas coleções:Doutorado - CFT

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Tese_Sumaia_Vasconcelos.pdf3,1 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.