Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/1366
Tipo do documento: Dissertação
Título: Extração e uso de corantes vegetais da Amazônia no tingimento do couro de Matrinxã (Brycon amazonicu Spix & Agassiz, 1819)
Autor: Melo, Karina Suzana Gomes de 
Primeiro orientador: Andrade, Jerusa de Souza
Primeiro coorientador: Jesus, Rogério Souza de
Primeiro membro da banca: Verreschi, Denise Cerávolo
Segundo membro da banca: Franco, Maria Luiza Rodrigues de Souza
Terceiro membro da banca: Varejão, Maria de Jesus Coutinho
Quarto membro da banca: Carvalho, Nilson Luiz de Aguiar
Quinto membro da banca: Muniz, Ana Cristina Silva
Resumo: A utilização de corantes naturais a partir de resíduos madeireiros, cascas de frutos, sementes, flores e outras matérias que preservam a flora Amazônica e não causam danos a saúde e ao ambiente podem ser usados como alternativa para tingimento de couro de peixe proveniente de peles que anteriormente eram descartadas. Dessa maneira, teve-se como objetivo avaliar o uso de corantes vegetais no tingimento do couro de matrinxã (Bricon amazonicus). Cascas (rambutã, magostão, bacuripari, murici, cajueiro, tucumã e tangerina), sementes (cupuaçu e urucum), frutos (patauá e açaí), folhas (crajiru), flores (cacauí), inflorescência (bananeira) e borra (açaí), foram avaliadas quanto aos teores de umidade, antocianinas, carotenóides, fenólicos, pigmentos solúveis em água e ao pH. Em função do pigmento (antocianina), da concentração (maior), solubilidade (hidrossolúveis) e adequação ao pH (ácido) ao processo de tingimento, o crajiru e a cacauí foram selecionados como fonte de corante para o couro de matrinxã. Amostras de crajiru e cacauí desidratadas (respectivamente 6 e 8%) nas proporções de 5, 10 e 15% em relação ao peso do couro foram utilizadas no tingimento do couro de matrinxã. Após o tingimento e acabamento, as amostras de couro foram avaliadas quanto à coloração, microscopia eletrônica de varredura, resistência à luminosidade e teste de lavabilidade. O corante de crajiru apresentou maior resistência à ação da luz e água. Decorrente da proporção do corante, o crajiru apresentou coloração variando do vermelho-purpura ao vinho e a cacauí do lilás claro ao escuro e apesar de não haver diferença estatística entre as proporções de 10 e 15%, a concentração maior resultou em coloração mais intensa. Nessas condições e proporções crajiru e cacauí ambas, mostraram-se adequadas. A utilização dessas concentrações vai depender da tonalidade, coloração e disponibilidade da fonte de corante desejada. Portanto o crajiru e a cacauí podem ser excelentes fontes de corantes naturais para o tingimento do couro de matrinxã.
Abstract: The use of natural dyes starting from residues of wood, peels of fruits, seeds, flowers and other materials that preserve the Amazon flora and don't cause the human health and to the environment damages can be used as alternative for staining of leather of fish source from skins that previously were discarded. The objective was to evaluate the vegetables dyes in the staining the hide of the matrinxã (Brycon amazonicus) leather. Peels of: Amazon fruits such as: rambutã, mangostão, bacuripari, murici, cashew tree, tucumã and tangerine, cupuaçu and urucum seeds, self-fruits of patauá and grounds of açaí, leaves of crajiru, flowers of cacauí, inflorescence of banana tree and açaí palm, were evaluated as for to the humidity, antocianins, carotenoids, phenolics contents, soluble pigments in water and pH. Crajiru and cacauí presented higher concentration of the antocianina pigment, hydrosoluble and adaptation to the pH (acid) of the staining process. Thus, these two products were selected as coloring source for the skin of matrinxã fish to grade at leather. Dehydrated crajiru and cacauí samples at 6 and 8%, respectively at the 5, 10 and 15% ratios to the weight of the leather were used in the coloring of the matrinxã leather. After the staining and finishing, the leather samples were evaluated by scanning electronic microscopy, brightness resistance and washability test. Crajiru stain presented higher resistance to the action of the light and water. Crajiru presented the coloration changing from the red-purple to the wine and the cacauí of the light and dark lilac, taking into consideration to the ratio of staining. Despite of there be no statistics significance among the of 10 and 15% contents this last resulted at more intense coloration. The conditions and proportions of both were shown appropriate. Their uses will depend of the tonality, coloration and availability of the source of coloring wished. Therefore, crajiru and the cacauí can be excellent sources of natural on the staining of leather matrinxã.
Palavras-chave: corantes vegetais
couro de peixe
tingimento
resistência à luminosidade
lavabilidade
dyes vegetables
fish leather
staining
brightness resistance
washability
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS PESQUEIROS E ENGENHARIA DE PESCA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Ciências Biológicas, Ciências Agrárias, Ciências Humanas
Programa: Agricultura no Trópico Úmido
Citação: MELO, Karina Suzana Gomes de. Extração e uso de corantes vegetais da Amazônia no tingimento do couro de Matrinxã (Brycon amazonicu Spix & Agassiz, 1819). 2007. 95 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas, Ciências Agrárias, Ciências Humanas) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, 2007.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/1366
Data de defesa: 24-Mai-2007
Aparece nas coleções:Mestrado - ATU

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Dissertacao_Karina_Melo.pdf1,84 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.