Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/1568
Tipo do documento: Dissertação
Título: Respostas de espécies florestais às alterações ambientais: A ocupação de florestas primárias e secundárias por psitacídeos na Amazônia Central
Autor: Figueira, Luiza 
Primeiro orientador: Ferraz, Gonçalo
Primeiro coorientador: Tella, José L.
Resumo: O processo de reflorestamento pode promover a recuperação de habitats florestais perdidos e mitigar a perda de espécies pelo desmatamento de áreas tropicais. No entanto, pouco se sabe sobre a capacidade de florestas secundárias para conservação de espécies de florestas primárias e sobre a variabilidade da resposta das espécies à recuperação de habitats. Psitacídeos oferecem uma boa oportunidade para se estudar a resposta das espécies à regeneração ambiental uma vez que há uma diversidade na resposta entre as espécies deste grupo que inclui muitas espécies ameaçadas. Nós acessamos a diferença no uso de florestas primárias e secundárias por nove espécies de psitacídeos Amazônicos através do monitoramento repetido de 155 sítios amostrais com gravadores automatizados e aplicando modelos de múltiplos estados de ocupação considerando a detecção imperfeita. As vocalizações gravadas foram distinguidas em dois tipos de uso do habitat: ‘uso de passagem’, quando a ave apenas passava voando pelo sítio e ‘uso com pouso’, que implica o uso de algum recurso alimentar, de nidificação ou repouso no sítio amostrado. Após três décadas de regeneração florestal, a floresta secundária ainda teve um efeito negativo sobre o uso do habitat e/ou detecção da maioria das espécies estudadas. Sete espécies tiveram menor uso com pouso de florestas secundárias do que de florestas primárias, e a variabilidade na resposta das espécies não esteve relacionada com características espécie-específicas estudadas, a massa corporal e o tamanho relativo do cérebro. A espécie mais afetada pela presença de floresta secundária também evitou voar sobre áreas de florestas secundárias, sendo essa espécie recentemente considerada endêmica à região de estudo deste trabalho e globalmente ameaçada. Em conclusão, a floresta secundária parece faltar com recursos necessários para a comunidade de psitacídeos amazônicos. Estudos de ocupação deveriam ser combinados com estudos demográficos de longo prazo para um melhor entendimento do significado em nível populacional da observação de diferenças no uso do habitat.
Abstract: Forest regeneration may help recover old growth habitat loss and possibly buffer the current loss of species due to tropical deforestation. Little is known, however, about the extent to which secondary forests may sustain old growth forest species and about the variability of species responses to regenerating habitats. Parrots offer a good opportunity to study response to regeneration because they are diverse in their responses and include many threatened species. We assessed the differential use of old-growth and secondary forest in nine species of Amazonian parrots, by repeatedly monitoring 155 sites through autonomous sound recording and applying multi-state occupancy models that accounted for imperfect detection. Recorded vocalizations distinguished two states of habitat use: ‘flying use’, when birds just fly over a site, and ‘perching use’, which implies the use of some food, nesting or resting resource. After three decades of forest regeneration, secondary forest still had a negative effect on site use and/or species detection in most species. Seven species showed a lower perching use of secondary forest than old growth, and variability among species was unrelated to body mass or relative brain size. The most negatively affected species also avoided flying over secondary forests, being now considered endemic to the study region and globally endangered. In conclusion, secondary forests appear to lack resources that are necessary for sustaining the whole local community of Amazonian parrots. Site-occupancy studies should be combined with long-term demographic studies to better understand the population-level meaning of the observed differences in habitat use.
Palavras-chave: Florestas secundárias
Psitacídeos
Modificação ambiental
Área(s) do CNPq: CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Biologia (Ecologia)
Citação: FIGUEIRA, Luiza. Respostas de espécies florestais às alterações ambientais: A ocupação de florestas primárias e secundárias por psitacídeos na Amazônia Central. Manaus: [s.n.], 2014. vii, 32p. Dissertação( Biologia (Ecologia)) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/1568
Data de defesa: 11-Jun-2014
Aparece nas coleções:Mestrado - ECO

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_ Luiza Figueira Rodrigues.pdf1,31 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.