Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/1918
Tipo do documento: Dissertação
Título: Variabilidade genética em populações de Aedes (Stegomyia) Aegypti Linnaeus, 1762 (Diptera: Culicidae) da Amazônia brasileira, por meio de marcadores microssatélites
Autor: Lima , Suzana Ferreira dos Anjos 
Primeiro orientador: Santos , Joselita Maria Mendes dos
Resumo: O Aedes aegypti é originário do continente africano e considerado de grande importância epidemiológica, por ser o principal vetor dos quatro sorotipos do vírus da dengue e da febre amarela. Foram analisados oito locos microssatélites com o objetivo de estimar a variabilidade genética em quatro populações da Amazônia brasileira, para obter dados sobre a estrutura genética de suas populações, que possam subsidiar em programas de controle desse vetor. A genotipagem de 129 indivíduos foi realizada em sequenciador de DNA Megabace 1000, utilizando o programa Genetic Profiler. O número total de alelos detectados por loco para todas as populações variou de 3 a 21, enquanto que o número médio de alelos por loco/população variou 5,12 a 7,12. A heterozigosidade média observada variou de 0,42 a 0,61 e, a esperada foi de 0,50 a 0,66. Entre as quatro populações, Boa Vista mostrou apenas um loco em desequilíbrio genético, enquanto que, para as populações de Porto Velho, Santarém e São Luís, dois a três locos estavam em desequilíbrio gamético. Os resultados da AMOVA mostraram que 68,03% da variação foram verificadas dentro das populações, 23,67% entre grupos dentro das populações, e apenas 8,29% entre elas. O valor de FST foi significante (FST= 0.083; P= 0,0083 < 0,05), indicando diferenciação genética entre as populações. Essa diferenciação foi inferida pelos valores significativos das comparações par-a-par de FST e, após a correção de Bonferroni, mostraram significância entre Boa Vista/Santarém e Boa Vista/São Luis. Estes resultados foram analisados por meio do Teste de Mantel e não foi detectada nenhuma correlação entre as distâncias geográfica e genética. A análise Bayesiana implementada no programa STRUCTURE 2.3.2, evidenciou a existência de dois clusters distribuídos em três grupos, confirmando uma moderada estruturação populacional. Com base na distância genética foi possível construir um dendrograma, que separou também as quatro populações em dois clusters: 1- Santarém/São Luís; 2- Porto Velho/Boa Vista. Desta forma, os resultados desse trabalho mostram estas populações de A. aegypti num processo inicial de estruturação genética, decorrente principalmente, da ação antrópica, que favorece uma forte pressão de seleção, pelo uso constante de inseticidas no controle desse vetor.
Abstract: The Aedes aegypti originated from Africa and considerate as great epidemiological importance, being the main vector of the four serotypes of the dengue virus and yellow fever. We analyzed eight microsatellite loci in order to estimate the genetic variability at four sites in the Brazilian Amazon, to obtain data of the genetic structure of their populations, in order to subsidize programs for vector control. Genotyping of 129 individuals was performed in DNA sequencer Megabace 1000 using the program Genetic Profiler. The total number of alleles detected per locus for all populations ranged from 3 to 21, while the average number of alleles per locus / population ranged from 5.12 to 7.12. The average heterozygosities ranged from 0.42 to 0.61 and the expected was 0.50 to 0.66. Among the four populations, Boa Vista showed only one locus in a genetic imbalance, while for the populations of Porto Velho, Porto and San Luis, two to three loci were in genetic imbalance. The results of AMOVA showed that 68.03% of the variation was found within populations, 23.67% between groups within populations, and only 8.29% between them. The FST value was significant (FST = 0.083), indicating differentiation among populations (P = 0.0083 <0.05). The differentiation between populations was inferred by the significant values pairwise FST and, after Bonferroni correction, showed significant differences between Boa Vista/Santarém and Boa Vista/São Luis. These results were analyzed using the Mantel test and was not detected any correlation between geographic and genetic distances. Bayesian analysis implemented in the STRUCTURE 2.3.2, showed the existence of two clusters divided into three groups, confirming a moderate population structure. Based on genetic distance, it was possible to construct a dendrogram, which also separated the four populations in two clusters: 1 - Santarém, Sao Luís, 2 - Porto Velho, Boa Vista. Thus, the results of this study show these populations of A. aegypti in the initial process of genetic structure, resulting mainly from human action, which favors a strong selection pressure, by constant use of insecticides to control this vector.
Palavras-chave: Aedes aegypti
Dengue
Genética de populações
Microssatélites
Amazônia brasileira
Área(s) do CNPq: CIENCIAS BIOLOGICAS::GENETICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Genética, Conservação e Biologia Evolutiva (GCBEv)
Citação: LIMA , Suzana Ferreira dos Anjos. Variabilidade genética em populações de Aedes (Stegomyia) Aegypti Linnaeus, 1762 (Diptera: Culicidae) da Amazônia brasileira, por meio de marcadores microssatélites. 2010. 58f. Dissertação( Genética, Conservação e Biologia Evolutiva (GCBEv)) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus,2010 .
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/1918
Data de defesa: 17-Ago-2010
Aparece nas coleções:Mestrado - (GCBEv)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao Final Suzana Ferreira dos Anjos.pdf1,32 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons