Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/2389
Tipo do documento: Tese
Título: Alometria de Árvores e Biomassa Florestal na Amazônia Sul-Ocidental
Autor: Melo, Antonio Willian Flores de 
Primeiro orientador: Santos, Joaquim dos
Primeiro coorientador: d’Oliveira, Marcus Vinício Neves
Resumo: As florestas tropicais do mundo, em especial a Floresta Amazônica, têm um papel im- portante, pois armazenam entre 193 ± 58 Pg – 228 ± 12 Pg de carbono e estão sofrendo processos intensivos de conversão em outros usos. A incerteza associada à quantificação desse reservatório de carbono e suas emissões, é grande. Em parte, pela baixa densidade de amostras de campo para caracterizar a variabilidade natural. O objetivo deste trabalho foi desenvolver para a Amazônia Sul-Ocidental, equações alométricas para estimar biomassa seca total, abaixo e acima do solo em árvores e bambu, como também, aplicar a dados de inventário florestal e testar métodos de extrapolação das estimavas para a paisagem usando informações de sensoriamento remoto. Para ajustar as equações alométricas foi realizada estimativa de biomassa, pelo método direto dos compartimentos, raiz (fina 2 mm < ∅ < 5 cm e grossa ∅ ≥ 5 cm), tronco, galhos (fino ∅ < 10 cm e grosso ∅ ≥ 10 cm) e folhas de 190 árvores com diâmetro variando entre 5 e 92 cm; e de 206 indivíduos de bambu (Guadua weberbaueri), subdividindo em biomassa abaixo (raízes) e acima (colmos, galhos e folhas) do solo. Foi determinada, também, a densidade básica da madeira em três posições no tronco e galho grosso (∅ ≥ 10 cm) em 81 árvores de diferentes espécies com diâmetro variando entre 11 e 90 cm. Para estimar biomassa florestal a partir de dados de sensoriamento remoto foram testados métodos e densidade de pontos LiDAR. Os resultados mostram que os padrões das relações alométricas para estimar biomassa de árvores na Amazônia Sul-Ocidental são distintos de outras regiões amostradas na Amazônia. Este fato pode estar relacionado a menor altura e densidade da madeira e maior teor de água da biomassa fresca. Foram testados oito modelos alométricos para estimar biomassa abaixo do solo, acima do solo e total de árvores individuais em floresta primária. Considerando os parâmetros de qualidade, praticidade de uso e custo, a equação de simples entrada em potência, envolvendo somente diâmetro (AGB tree = a × D b ) teve melhor desempenho na estimativa da biomassa florestal, sendo preferível a utilização da mesma. A biomassa de bambu é um importante componente do ciclo do carbono florestal em uma porção conside- rável da Amazônia Sul-Ocidental. Foi encontrada baixa relação alométricas da biomassa seca de bambu com diâmetro e altura, resultados contrários aos encontrados por outros autores, sugerindo haver padrões alométricos diferentes entre as populações de bambu nesta porção da Amazônia. Em condições de floresta tropical amazônica em ambiente de baixa variabilidade topográfica recomenda-se o uso de nuvens de pontos LiDAR com densidade ≥ 2 m −2 para gerar métricas de estrutura da floresta e estimativa de biomassa. As floresta abertas (+200.000 km 2 ) na Amazônia Sul-Ocidental são significativamente diferentes de florestas em outras regiões da Amazônia. Essas diferenças podem provocar disparidades de até 35% na biomassa florestal estimada e consequentemente nos estoques e fluxos de carbono entre as florestas e a atmosfera. Para melhorar a acurácia das estimativas de biomassa florestal via LiDAR deve ser levado em consideração: (1) A quantidade e tamanho das parcelas de calibração; (2) a densidade de pontos LiDAR; e (3) o método de computação. Palavras-chave: Biomassa florestal. Equações alométricas. LiDAR. Acre.
Abstract: The world’s tropical forests, and the Amazonian Forest in particular, play an important role because they store between 193 ± 58 Pg and 228 ± 12 Pg of carbon and are facing intensive conversion to other land uses. There is a high level of uncertainty related to the quantification of this carbon reservoir and its emissions, in part due to the low density of field samples to characterize the natural variability. This research aimed to develop allometric equations for estimating total above and below-ground dry biomass for both trees and bamboo, apply these equations on forest inventory data, and test methods of extrapolation of the estimates to the landscape through remote sensing information. In order to adjust the allometric equations, we used the direct compartment method, roots (thin 2 mm < ∅ < 5 cm and thick ∅ ≥ 5 cm), trunks, branches (thin ∅ < 10 cm and thick ∅ ≥ 10 cm) and leaves of 190 trees with diameters varying between 5 and 92 cm; and 206 bamboo individuals (Guadua weberbaueri), subdivided in below- (roots) and above-ground (stems, branches and leaves) biomass. The basic wood density was determined in three trunk positions and in thick branches (∅ ≥ 10 cm) in 81 trees of different species with diameters varying between 11 and 90 cm. To determine forest biomass from remote sensing data, methods and density of LiDAR points were tested. The results showed that the allometrics patterns for estimating tree biomass in the Southwestern Amazon are different from other sampled regions in the Amazon. This fact may be related to lower tree height and wood density and higher water content in the fresh biomass. Were tested eight allometric models to estimate below-ground, above-ground and total biomass of individual trees in primary forest. Considering accuracy, practicality and costs, the use of the simple power equation involving only diameter (AGB tree = a × D b ) presented the best performance to estimate forest biomass. Bamboo biomass is an important component of the forest carbon cycle in a considerable part of the Southwestern Amazon. Were found a low allometric relation between bamboo dried biomass and its stalk diameter and height, a result distinct to those found by other authors, suggesting that there are different allometric patterns among the bamboo populations in this part of the Amazon. For the Amazon rainforest, an environment of low topographic variability, it is recommended the use of LiDAR point clouds with a density ≥ 2 m −2 to generate forest structure metrics and biomass estimation. To increase sample density is fundamental to improve the accuracy of forest biomass estimates. However, in order to contemplate spatial variability and access a large territorial extensions ecosystem such as the Amazonia, it is necessary to combine field data with remote sensing data as LiDAR. Open forests (+200,000 km 2 ) in the southwestern Amazonia are significantly different from forests in other regions of the Amazon. These differences can lead to disparities of up to 35 % in estimated forest biomass and consequently in carbon stocks and fluxes between forests and the atmosphere. To improve the accuracy of forest biomass estimates via LiDAR, consideration should be given to: (1) The quantity and size of the calibration plots; (2) the density of LiDAR points; and (3) the computation method. Keywords: forest biomass. allometric equations. LiDAR. Acre.
Palavras-chave: Biomassa Florestal. Equações alométricas. LiDAR. Acre.
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Ciências de Florestas Tropicais (CFT)
Citação: Melo, Antonio Willian Flores de. Alometria de Árvores e Biomassa Florestal na Amazônia Sul-Ocidental. 2017. 156 f. Tese( Ciências de Florestas Tropicais (CFT)) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/2389
Data de defesa: 14-Jul-2017
Aparece nas coleções:Doutorado - CFT

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
20170911_tese_willian_v05_Final.pdf4,75 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons