Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/720
Tipo do documento: Tese
Título: GENÉTICA POPULACIONAL DO PEIXE-BOI DA AMAZÔNIA, Trichechus inunguis NATTERER, 1883 (MAMMALIA, SIRENIA) NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: IMPLICAÇÕES PARA SUA CONSERVAÇÃO
Autor: Cantanhede, Andréa Martins 
Primeiro orientador: Farias, Izeni Pires
Primeiro coorientador: Silva, Vera Maria Ferreira da
Primeiro membro da banca: Lima, Régis Pinto de
Segundo membro da banca: Rosas, Fernando César Weber
Terceiro membro da banca: Gomes, Jose Antônio Alves
Quarto membro da banca: Lemes, Maristerra Rodrigues
Quinto membro da banca: Porto, Jorge Ivan Rebelo
Resumo: O peixe boi da Amazônia, Trichechus inunguis, único sirênio exclusivamente de água doce, possui distribuição restrita a Bacia do Amazonas, onde é encontrado desde a Ilha de Marajó (Brasil) até as cabeceiras do Rio Amazonas, na Colômbia, Peru e Equador. A captura indiscriminada e em grande escala, durante as décadas de 30 a 50, para o uso comercial foi, sem dúvida, a principal razão da redução populacional dessa espécie, que associada à baixa taxa reprodutiva, limita a habilidade desta espécie de se restabelecer rapidamente. No Laboratório de Mamíferos Aquáticos (INPA, Manaus-AM) e no Centro de Preservação e Pesquisa de Mamíferos Aquáticos da Eletronorte (Balbina-AM) existem programas de conservação ex situ , envolvendo o resgate e a reabilitação dos animais apreendidos devido a caça ilegal, atividades de pesquisa e educação ambiental, reprodução em cativeiro, além de projetos de reintrodução de peixes-bois na natureza. A genética da conservação visa minimizar o risco da extinção por fatores genéticos. Assim o conhecimento dos níveis e distribuição da variabilidade genética é fundamental para o planejamento do manejo e conservação do peixe-boi da Amazônia in situ e ex situ. O presente projeto teve como objetivo de determinar a paternidade dos filhotes de nascidos e criados em cativeiro do LMA-INPA e do CPPMA-Balbina; além de verificar o nível e a distribuição da variabilidade genética das populações de peixe-boi da Amazônia, analisar se existem eventos de hibridização ocorrendo entre as espécies de peixe-boi que ocorrem no Brasil, avaliando a contribuição genética de cada uma das espécies, utilizando marcadores microssatélites. Essas informações, fornecer subsídios de fundamental importância para o estabelecimento de estratégias de conservação e manejo dessa espécie. Para isso, foram realizadas amplificações cruzadas de 20 loci microssatélites desenvolvidos para Trichechus manatus em T. inunguis. Todos os loci se apresentaram em equilíbrio de Hardy-Weinberg e os testes de desequilíbrio de ligação não foram significativos para os pares de loci em cada população, após a correção de Bonferroni. Os níveis de diversidade genética encontrada para a espécie amazônica de peixe-boi foi relativamente maior comparada com os outros sirênios. Os elevados níveis de polimorfismos dos loci utilizados neste trabalho permitiram obter sucesso na identificação da paternidade dos filhotes de peixe-boi da Amazônia nascidos em cativeiro. A probabilidade de acerto foi de 99,83% para o filhote Erê; 81,38% para o Tuã, 90,21% para o filhote natimorto, 90,21% para o filhote Kinjá e 97,84% para o filhote Inaê. Para os indivíduos do CPPMA/Balbina, a probabilidade de acerto foi 94,98% para filha prematura da Miri, 98,38% para Morena e 97,09% para Uatumã. Nas análises populacionais observou-se a não existência de estrutura genética nas populações amostradas (FST 0,00205, p = 1). Os valores de M variaram de 21,902 a infinito, confirmando o alto nível de fluxo gênico entre as populações. Além disso, nossos testes indicaram que as populações não apresentam sinais dos efeitos de um gargalo populacional recente. Obviamente, existe a possibilidade de que o peixe-boi da Amazônia tenha sofrido uma redução populacional devido a grande exploração comercial sofrida pela espécie no passado, porém por terem um longo período de vida e tempo de geração, os efeitos dessa redução não foram detectados no ponto de vista genético. Com os resultados obtidos no programa STRUCTURE, foi possível observar duas populações bem diferentes geneticamente, que representam as espécies T. inunguis e T. manatus. Porém, os indivíduos Para_100, Para_b13 e Para_domn rejeitam a hipótese que eles pertençam de fato a sua espécie correspondente, ou seja, são indivíduos híbridos. Esses indivíduos são provenientes do estuário amazônico, região de simpatria entre as duas espécies que ocorrem no Brasil, onde já haviam sugerido existir uma possível zona de hibridização entre as espécies. O programa BayesAss+ usa aproximação bayesiana para calcular taxas recentes de imigração entre populações com base nos genótipos multilocus individuais. Similar ao programa STRUCTURE, o programa BayesAss+ indicou que certos indivíduos não pertencem as suas supostas espécies. Tanto as análises no programa Isolamento com migração (IMa) como as análises no MIGRATE confirmam a presença de fluxo gênico entre T. manatus-T. inunguis indicando que este seria o principal sentido da introgressão. As análises do MIGRATE revelaram que a população do Pará de T. inunguis recebe maior número de migrantes do peixe-boi marinho (Nm=5,0045), enquanto o fluxo gênico de T. manatus e T. inunguis foi menor (Nm=2,3395). As análises no IMa confirmam a presença de fluxo gênico significantemente diferente de zero entre T. inunguis e T. manatus e que existe claramente uma diferença na direção do fluxo gênico com Nm=7,4779 de T. manatus para T. inunguis, vs Nm=1,7188 de T. inunguis para T. manatus, confirmando os resultados da taxa de migração obtidos no MIGRATE. Essas análises indicaram o contínuo, porém desigual fluxo gênico entre T. manatus e T. inunguis sugerindo que este seria o principal sentido da introgressão.
Abstract: The Amazonian manatee, Trichechus inunguis, the only exclusively fresh water sirenian, is distributed thought out the whole in the Amazonian region where it is found from the Marajó Bay (Brazil) up to Colombia, Peru, and Equator. The indiscriminate large scale capture for commercial use was the main reason of its population reduction, which associated with the low reproductive rate limits a potential of a quick recovery of the species. The Aquatic Mammals Laboratory (LMA-INPA, Manaus-AM) and the Preservation and Research Center of Aquatic Mammals of Eletronorte (CPPMA-Balbina-AM) undertake "ex situ" conservation programs which focus on the rescue and rehabilitation of animals seized from poachers, research activities, and environmental education, reproduction in captivity, and also reintroductions of Amazonian manatees into the wild. Conservation genetics aim to minimize extinction risk caused by genetic factors. Thus the knowledge of the levels and distribution of the genetic variability is essential for the planning of in situ and ex situ management and conservation strategies for the Amazonian manatee. Using microssatélites markers, the goal of the present project is to analyse paternity of animals born and raised in captivity at LMA-INPA and CPPMA-Balbina, as well as to verify the level and the distribution of the genetic variability of the Amazonian manatee, to confirm if hybridization events exists between the two manatee species that occur in Brazil, evaluating the genetic contribution of each species and to find in which direction the hybridization events occur; and with this information provide subsidies of fundamental importance for the establishment of efficient conservation strategies and management of this species. With this goal in mind, 20 microssatellite loci originally developed for Trichechus manatus were utilized in T. inunguis. All of the loci were in Hardy-Weinberg equilibrium and the tests of linkage disequilibrium were not significant for any pair of loci within each population. The levels of genetic diversity found for the Amazonian manatee was relatively larger when compared with the other sirenians. The high level of polymorphism of the loci used in this study allowed for the successful paternity identification of the Amazonian manatee born in captivity. The probability of success were 99,83% for the calf Erê; 81,38% for Tuã, 90,21% for a stillborn calf, 90,21% for Kinjá, and 97,84% for Inaê. At CPPMA/Balbina, the probability of success was 94,98% to a premature calf of Miri, 98,38% for Morena and 97,09% for Uatumã. In the population analyses it was observed that no genetic structure exist among the regions sampled (FST - 0,00205, p = 1,0). The values of M (absolute number of migrants) varied from 21,902 to infinite, confirming the high level of gene flow among the regions and that these populations do not present signs of the effects of a recent population bottleneck. It seems obvious that the Amazonian manatee has suffered a population reduction due to great commercial exploration during the 1930 s to 1950 s, however most likely since these animals have a long life span and generation time, the effects of that reduction were not detected genetically. With the results obtained with the program STRUCTURE, it was possible to observe two very different "populations", representing the species T. inunguis and T. manatus. However, the individuals Para_100, Para_b13 and Para_domn reject the hypothesis of belonging to their corresponding species. In other words, they are hybrid individuals. Those individuals are from of the Amazonian estuary, an area of sympatry of the two species, and where had already suggested the existence of a possible hybridization area for the species. The program BayesAss+ uses a Bayesian population assignment approach to estimate rates of recent immigration events between populations from individual multilocus genotypes. Similar to the program STRUCTURE, the program BayesAss+ indicated that certain individuals do not belong to their supposed species. Further analyses in the programs IMa and MIGRATE also confirm the existence of ongoing gene flow between T. manatus and T. inunguis indicating that this would be the main direction of the introgression. The MIGRATE analyses confirmed the presence of gene flow between T. inunguis and T. manatus, with the Pará population of T. inunguis receiving high number of migrants of the marine manatee (Nm=5,0045), while gene flow in the direction from T. manatus to T. inunguis was lower (Nm=2,3395). Analyses in the isolation with migration program IMa confirmed the presence of gene flow significantly different from zero between T. inunguis and T. manatus and the existence of clear difference in the direction of gene flow with Nm=7,4779 from T. manatus to T. inunguis vs. Nm=1,7188 from T. inunguis to T. manatus. These analyses indicated ongoing but unequal gene flow between T. manatus and T. inunguis suggesting the main direction of introgression.
Palavras-chave: Peixe-boi - Amazônia
Populações
Marcadores microssatélites
Peixe-boi Variabilidade genética
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::GENETICA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Genética, Conservação e Biologia Evolutiva
Programa: Genética, Conservação e Biologia Evolutiva
Citação: CANTANHEDE, Andréa Martins. GENÉTICA POPULACIONAL DO PEIXE-BOI DA AMAZÔNIA, Trichechus inunguis NATTERER, 1883 (MAMMALIA, SIRENIA) NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: IMPLICAÇÕES PARA SUA CONSERVAÇÃO. 2008. 125 f. Tese (Doutorado em Genética, Conservação e Biologia Evolutiva) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/720
Data de defesa: 1-Out-2008
Aparece nas coleções:Doutorado - (GCBEv)

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Tese_Andrea_Cantanhede.pdf2,04 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.