Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/724
Tipo do documento: Tese
Título: Conservação genética do peixe neotropical Arapaima gigas (Schinz, 1822) (Osteoglossidae: Actinopterygii) da bacia Amazônica
Autor: Santos, Carlos Henrique dos Anjos dos 
Primeiro orientador: Val, Vera Maria Fonseca de Almeida e
Primeiro coorientador: Farias, Izeni Pires
Primeiro membro da banca: Sampaio, Maria Iracilda da Cunha
Segundo membro da banca: Matoso, Daniele Aparecida
Terceiro membro da banca: Affonso, Elizabeth Gusmão
Quarto membro da banca: Carvalho-zilse, Gislene Almeida
Quinto membro da banca: Scarpassa, Vera Margarete
Resumo: O pirarucu (Arapaima gigas) é o maior peixe de água doce de escamas do mundo e é considerado o maior fóssil vivo . A. gigas é uma espécie endêmica da bacia amazônica e seus exemplares podem alcançar os três metros de comprimento e pesar mais de 200 kg na natureza. Devido à sua grande importância econômica, o pirarucu acabou sendo a primeira espécie de peixe amazônico a apresentar nítidos sinais de sobreexploração. Como consequência, esta espécie tem sido muito utilizada para criação em cativeiro e apesar de diversos estudos sobre reprodução e nutrição dessa espécie em cativeiro virem sendo realizados recentemente, nenhuma avaliação genética dos plantéis e alevinos gerados em pisciculturas foram avaliados até o momento. O presente trabalho é o primeiro a avaliar as caractarísticas de diversidade genética de populações de cativeiro da espécie A. gigas, comparando-as com as de populações provenientes da natureza. Assim, o objetivo deste trabalho foi analisar os níveis de diversidade genética entre os exemplares de pirarucu de cativeiro e natureza, verificando a ocorrência de diferenciação genética entre as populações, com o intuito de propor medidas de manejo e conservação para a espécie em cativeiro. Um total de 424 alelos foi detectado para 19 locos de microssatélites, sendo que destes, 49 foram alelos privados. O número de alelos por loco variou de 1,621 (PFP1, cativeiro) a 2,268 (RDSM, selvagem) e a heterozigosidade esperada variou de 0,383 (PFP1) a 0,559 (RDSM). Foi verificado a existência de uma moderada variação genética, com alta diferenciação entre as populações analisadas. Os valores em pares do FST mostraram variação de 0,135 (RDSFB-RDSM, selvagem) a 0,364 (PFP1-PPV, cativeiro), mostrando que as populações de cativeiro tendem a diferir mais do que as populações da natureza. A árvore de neighbour-joining (NJ) e a análise de correspondência fatorial (FCA) mostraram a ocorrência de dois grupos genéticos a partir dos dados de distância genética. Além disso, verificou-se que as populações de pirarucu apresentam sua própria aglomeração (q > 0,9), indicando não existir misturas entre as populações. Nós identificamos a ocorrência de um gargalo populacional recente nas populações de A. gigas, indicando um reduzido tamanho populacional no estoque fundador. Além disso, observamos que 10 locos microssatélites é um número de locos mínimo necessário para um estudo de diversidade genética em animais de natureza ou cativeiro. Contudo, estudos envolvendo espécies que apresentam tamanho populacional reduzido e ameaçados de extinção devem aplicar um número de marcadores microssatélites superior a 10 locos. Em resumo, nós sugerimos neste trabalho como medida de manejo e conservação para o pirarucu, um acompanhamento mais detalhado dos planteis de reprodutores, bem como um monitoramento periódico nas populações selvagens de pirarucu, com o intuito de que esses animais possam vir a ser utilizados como futuros estoques de reprodutores.
Abstract: The pirarucu (Arapaima gigas) is the largest freshwater scale fish of the world and is considered the greatest living fossil . The species A. gigas is endemic to the Amazon basin and can reach up to three meters length and 200 kg weigh in wild. Due to its great economic importance pirarucu became the first species of Amazonian fishes to be overexploited. As a consequence, it has been widely used in aquaculture, and although many studies about its reproduction and nutrition have been done, no genetic evaluation has been made over pirarucu produced in captivity. The present work is the first to analyze the genetic diversity of captivity population of A. gigas, comparing them to wild population. Thus, the objective of this study has been the analysis of the levels of genetic diversity between the individuals of pirarucu from captivity and wild, observing the occurrence of genetic differentiation between populations with the aim of proposing management and conservation procedures for the species in captivity. A total of 424 alleles were detected, of which, 49 were private alleles. The effective number of alleles per locus ranged from 1.621 (PFP1, captivity) to 2.268 (RDSM, wild), and expected heterozygosity ranged from 0.383 (PFP1) to 0.559 (RSDM). We verified the existence of a moderate genetic variation, with high differentiation between populations. The FST values in pairs showed variation of 0.135 (RDSFB-RDSM, wild) to 0.364 (PFP1-PPV, captivity), showing that the captive populations tend to differ more than the populations of wild. The neighbor-joining tree (NJ) and factorial correspondence analysis (FCA) showed the occurrence of two genetic groups from the data of genetic distance. Furthermore, we found that each population has their own pirarucu agglomeration (q>0.9), indicating there is no mixing between them. We have identified the occurrence of a recent population bottleneck in A. gigas, indicating a small founding population size in the stock of captivity population. This is showed in the two wild populations as well. In addition, we observed that 10 microsatellite loci is the number of loci necessary for a study of genetic diversity in captivity and wild animals, although species with a small population size and endangered must be evaluated with more than 10 loci to minimize the low sampling size effect. In summary, we suggest in this paper, as a process of management and conservation for the pirarucu, a more detailed follow-up to plant breeders, as well as a periodic monitoring of wild populations of A. gigas, with the purpose of using these animals as future breeding stock.
Palavras-chave: Arapaima gigas
Pirarucu
Conservação genética
Marcadores microssatélites
Manejo em cativeiro
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::GENETICA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Genética, Conservação e Biologia Evolutiva
Programa: Genética, Conservação e Biologia Evolutiva
Citação: SANTOS, Carlos Henrique dos Anjos dos. Conservação genética do peixe neotropical Arapaima gigas (Schinz, 1822) (Osteoglossidae: Actinopterygii) da bacia Amazônica. 2011. 148 f. Tese (Doutorado em Genética, Conservação e Biologia Evolutiva) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, 2011.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/724
Data de defesa: 10-Nov-2011
Aparece nas coleções:Doutorado - (GCBEv)

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Tese_Carlos_Santos.pdf4,32 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.