Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/1745
Tipo do documento: Dissertação
Título: Relações ecológicas na distribuição de 25 espécies de vertebrados neotropicais em mesoescala
Autor: Michalski, Lincoln José 
Primeiro orientador: Michalski, Fernanda
Primeiro coorientador: Oliveira, Tadeu Gomes de
Resumo: Os vertebrados são um componente vital da biodiversidade da floresta Amazônica. Apesar de serem uma parte importante da funcionalidade de vários serviços do ecossistema (suporte, reserva, cultural) continuam a ser ameaçados por perturbações antrópicas, incluindo caça e perda de habitat em toda a Amazônia. Aqui usamos um arranjo regularmente espaçado e padronizado dentro de uma área de 25 km², para fornecer uma avaliação inicial da diversidade de espécies de vertebrados em uma área protegida de uso sustentável na Amazônia brasileira oriental. Armadilhas fotográficas foram instaladas por 30 dias durante as estações seca e chuvosa, em 30 pontos separados por intervalos de um quilômetro ao longo de um sistema de trilhas pré-estabelecido. O teste de Mann-Whitney U foi usado para avaliar as diferenças sazonais no número de encontros por espécie (número de fotos por armadilha fotográfica e número de câmeras com fotos). Modelos Lineares Generalizados (GLMs) foram então usados para examinar a influência de cinco variáveis (altitude, abertura do dossel, área basal, distância até o rio de grande porte e distância até o rio de pequeno porte mais próximos) sobre o número de fotos por espécie e por grupos funcionais. GLMs também foram usados para examinar as relações entre grandes predadores [Jaguar (Panthera onca) e Puma (Puma concolor)] e as suas presas. Um total de 649 fotos independentes de 25 espécies foi obtido a partir de 1800 armadilhas-dia (900 em cada estação, chuvosa e seca). Somente ungulados e roedores mostraram diferenças sazonais significativas no número de fotos por câmera. O número de fotos variou entre as estações em apenas três espécies (Mazama americana, Dasyprocta leporina e Myoprocta acouchy), as quais foram fotografadas mais (3 a 10 vezes mais) durante a estação chuvosa. M. americana foi a única espécie em que uma diferença significativa foi encontrada em relação a ocupação, com mais fotos em mais câmeras durante a estação chuvosa. Para a maioria dos grupos e espécies, nossos GLMs tiveram pouco poder de explicação na variação no número de fotos por câmera (variando entre 10,3 e 54,4%). Aves terrestres (Crax alector, Psophia crepitans e Tinamus major) e roedores (Cuniculus paca, Dasyprocta leporina e M. acouchy) foram as exceções notáveis para os nossos GLMs, explicando de forma significativa a variação na distribuição de todas as espécies (variando entre 21,0 e 54,5% ). Os GLMs para os grupos e espécies mostraram algumas informações ecológicas interessantes a partir desta "área relativamente intocada". No caso dos grupos não foi encontrada associação entre grandes felinos e suas presas em potencial. Descobrimos também que espécies de roedores e aves foram os mais registrados mais perto de córregos. Como caçadores têm acesso principalmente pelos rios em florestas tropicais, estes dados sugerem que atualmente há pouco impacto antropogênico nestas espécies na área de estudo. Nossos resultados fornecem uma base padronizada para comparação com outras áreas, e com os quais é possível planejar atividades de gestão e extrativismo.
Abstract: Vertebrates are a vital component of Amazon forest biodiversity. Although vertebrates are a functionally important part of various ecosystem services (supporting, provision and cultural) they continue to be threatened by anthropogenic perturbations including hunting and habitat loss across the Amazon. Here we use a standardized regularly spaced arrangement within 25km2 to provide a baseline assessment of vertebrate species diversity in a sustainable use protected area in the eastern Brazilian Amazon. Camera traps were placed for 30 days during both dry and wet seasons at 30 points separated by 1km intervals along a pre-established trail system. Mann-Whitney U tests were used to examine seasonal differences in the per species encounters (number of photos per camera trap and number of cameras with photos). Generalized linear models (GLMs) were then used to examine the influence of five variables (altitude, canopy cover, basal area, distance to nearest river and distance to nearest large river) on the number of photos per species and in functional groups. GLMs were also used to examine the relationships between large predators [Jaguar (Panthera onca) and Puma (Puma concolor)] and their prey. A total of 649 independent photos of 25 species were obtained from 1800 camera trap days (900 each during wet and dry seasons). Only ungulates and rodents showed significant seasonal differences in the number of photos per camera. The number of photos differed between seasons in only three species (Mazama americana, Dasyprocta leporina and Myoprocta acouchy) all of which were photographed more (3 to 10 fold increase) during the wet season. M. americana was the only species where a significant difference was found in occupancy with more photos in more cameras during the wet season. For most groups and species our GLMs only weakly explained variation in the number of photos per camera (deviance explained ranging from 10.3 to 54.4%). Terrestrial birds (Crax alector, Psophia crepitans and Tinamus major) and rodents (Cuniculus paca, Dasyprocta leporina and M. acouchy) were the notable exceptions with our GLMs significantly explaining variation in the distribution of all species (deviance explained ranging from 21.0 to 54.5%). The group and species GLMs showed some novel ecological information from this relatively ―pristine area‖. In the case of groups we found no association between large cats and their potential prey. We also found that rodent and bird species were more often recorded closer to streams. As hunters gain access via rivers this finding suggests that there is currently little anthropogenic impact on the species. Our findings provide a standardized baseline for comparison with other sites and with which planned management and extractive activities can be evaluated.
Palavras-chave: Vertebrados
Mamíferos
Armadilhas
Área(s) do CNPq: ECOLOGIA::ECOLOGIA DE ECOSSISTEMAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Biologia (Ecologia)
Citação: MICHALSKI, Lincoln José. Relações ecológicas na distribuição de 25 espécies de vertebrados neotropicais em mesoescala. Manaus: [s.n.], 2015. viii, 51 f.. Dissertação (Biologia (Ecologia)) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/1745
Data de defesa: 19-Mar-2015
Aparece nas coleções:Mestrado - ECO

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_Lincoln José Michalski.pdf1,37 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons