Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/1846
Tipo do documento: Dissertação
Título: A insularização como agente de fragmentação florestal em comunidades de lagartos na Amazônia Central
Autor: Bittencourt, Shanna 
Primeiro orientador: Lima, Albertina Pimentel
Primeiro coorientador: Venticinque, Eduardo Martins
Resumo: No contexto mundial, poucos são os estudos dos efeitos nas comunidades naturais da perda de hábitat e isolamento gerados por usinas hidrelétricas. Visando entender o impacto do enchimento e da formação de ilhas, causadas pela represa de Balbina sobre as comunidades de lagartos na Amazônia central, este estudo avaliou em nível de paisagem os efeitos da forma, do tamanho e do grau de isolamento das ilhas sobre a riqueza e composição de espécies de lagartos e em escala local, a influência da profundidade da serapilheira, da densidade de árvores e da densidade de palmeiras sobre a abundância das espécies mais comuns de lagartos. Lagartos foram registrados em 20 ilhas e 6 pontos controle em floresta contínua adjacentes à represa por meio de busca ativa na serapilheira e encontro visual. Foram registrados 1375 indivíduos pertencentes a 16 táxons inseridos em 5 famílias (Polychrotidae, Gekkonidae, Gymnophthalmidae, Scincidae e Teiidae). Ilhas e floresta contínua não diferiram quanto à riqueza de espécies de lagartos. Considerando apenas as ilhas, o número de espécies é positivamente relacionado com a área das ilhas e negativamente com o isolamento, porém a relação com o isolamento é duvidosa devido a um ponto de alavanca. Uma análise de caminhos indicou um efeito direto da paisagem (área e isolamento) sobre a riqueza e fracos efeitos diretos da profundidade da serapilheira, densidade de árvores e densidade de palmeiras. A composição das espécies nas comunidades, gerada com os dados de abundância diferiram entre ilhas e floresta contínua, mas não diferiram quando considerados dados de presença/ausência. A ordenação dos pontos utilizando dados quantitativos ao longo dos dois primeiros eixos de uma PCoA indicou a existência de três grupos de espécies. As ordenações dos transectos, usando todas as espécies, foram relacionadas à área da ilha, mas não a seu isolamento. No entanto, em uma nova análise considerando apenas as espécies que ocorreram em mais de 60% das parcelas, a relação com o isolamento e área foi contrária, sendo o isolamento relacionado significativamente à composição de espécies, enquanto a área não. Este último padrão foi encontrado para dados de presença/ausência, quando utilizadas todas as espécies. A análise de caminhos com dados de composição quantitativa e qualitativa indicou que o efeito direto da área foi maior que o efeito total. Os mediadores dos efeitos indiretos - profundidade da serapilheira, densidade de árvores e densidade de palmeiras - foram negativos. O mesmo não acontece para o isolamento, no qual o efeito total foi maior que o efeito direto devido ao mediador, profundidade da serapilheira, contribuir com um efeito positivo. Os fatores ambientais locais não afetaram a abundância de Ameiva ameiva, Kentropyx calcarata e Plica umbra. Mas a profundidade da serapilheira teve um efeito positivo em Mabuya nigropunctata e a densidade de árvores sobre Gonatodes humeralis. No reservatório de Balbina a insularização alterou a estrutura das comunidades de lagartos, sendo que a área e o isolamento das ilhas remanescentes influenciam a atual composição das espécies.
Abstract: In a global context, there are few studies addressing effects on natural communities of habitat loss and isolation caused by hydroelectric dams. To better understand the impact of the flooding and island formation caused by the Balbina Reservoir on lizard communities of the central Amazon, I assessed the effects of island shape, size and isolation on species richness and composition and the influence of litter depth, and densities of trees and palms on the abundance of the most common species. Through litter browsing and visual encounter surveys, lizards were sampled on 20 islands and 6 control points on the nearby mainland. A total 1375 individuals were found, belonging to 16 taxa, in 5 families (Polychrotidae, Gekkonidae, Gymnophthalmidae, Scincidae and Teiidae). Islands taken as a group did not differ from the mainland in species richness. Considering only the island samples, the number of species was positively related to island area and negatively to isolation, but the relationship with isolation was leveraged by a single point. Path analysis indicated a direct effect of the landscape (area and isolation) on richness and weak direct effects of litter depth, of tree density and palm density. The species composition differed between islands and mainland when inferred from abundance data, but did not differ for presence/absence data. Using abundance data, three groups of species were found in a 2-dimensional PCoA ordination. Ordination scores of sites using all species were related to island area but not to isolation. However, when considering only species that occurred in more than 60% of plots, composition was related to isolation, but not to island area. This latter pattern was also found with presence/absence data using all species. A path analysis using quantitative and qualitative data indicated that the direct effect of island area on composition was greater than its total effect. The mediators of indirect effects - litter depth, tree density and palm density - all had negative effects. The same was not true for isolation; the total effect was greater than the direct effect because of the mediated positive contribution of litter depth. Environmental factors did not affect the abundance of Ameiva ameiva, Kentropyx calcarata and Plica umbra. Litter depth had a positive effect on Mabuya nigropunctata, and tree density on Gonatodes humeralis. The insularization caused by Balbina Reservoir has changed the structure of lizard communities. The area and isolation of each island influence composition.
Palavras-chave: Biogeografia de ilhas
Ecologia da Paisagem
Usina Hidrelétrica de Balbina
Área(s) do CNPq: CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Biologia (Ecologia)
Citação: BITTENCOURT, Shanna. A insularização como agente de fragmentação florestal em comunidades de lagartos na Amazônia Central. Manaus: [s.n.], 2008. ix, 40 f.. Dissertação (Biologia (Ecologia)) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/1846
Data de defesa: 17-Jun-2008
Aparece nas coleções:Mestrado - ECO

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_Shanna Bittencourt.pdf723,91 kBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons