Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/1884
Tipo do documento: Dissertação
Título: Estrutura genética de Podocnemis expansa (Testudines - Podocnemididae) no alto Rio Madeira e sua implicação na avaliação do impacto das hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio (Rondônia, Brasil)
Autor: Vieira, Camila Paiva 
Primeiro orientador: Ribas, Camila Cherem
Resumo: Podocnemis expansa é a maior tartaruga amazônica e está distribuída ao longo das bacias dos rios Amazonas, Orinoco, e Tocantins/Araguaia. O padrão de distribuição é metapopulacional, com diferenças na estrutura genética entre sub-bacias, mas mantendo ampla conectividade. Fortes corredeiras de águas brancas estão entre as barreiras naturais à dispersão de vertebrados aquáticos. No rio Madeira, um dos principais afluentes da margem direita do Amazonas, ocorre uma sequência de 18 corredeiras que constitui uma barreira impermeável ou semi-permeável para várias espécies, de peixes a jacarés e botos. P. expansa foi encontrada entre todas as corredeiras do Madeira analisadas neste estudo, mas dados de captura-recaptura não foram adequados para estimar a magnitude da mobilidade da espécie entre as corredeiras. A região controle do DNA mitocondrial e cinco locos microssatélites nucleares foram analisados para estimar a diversidade genética e a conectividade de P. expansa entre as corredeiras, e em relação a outras partes da área de distribuição da espécie, bem como a ocorrência de possíveis gargalos populacionais recentes. Nenhuma evidência genética foi encontrada de uma recente diminuição no tamanho efetivo populacional, apesar da espécie ter sofrido intensa exploração na região desde o século XIX. O haplótipo mais comum em toda a área de distribuição da espécie também ocorreu no alto rio Madeira, reforçando a noção de uma estrutura panmítica da espécie na bacia amazônica. Três haplótipos foram registrados apenas na área de estudo, sendo um deles muito abundante entre os indivíduos amostrados. Os locos microssatélites indicaram apenas um agrupamento para a região do alto rio Madeira, enquanto o DNA mitocondrial indicou cinco grupos, que estão misturados indistintamente ao longo dos trechos entre corredeiras amostrados. A diversidade genética foi maior no alto rio Madeira do que no rio Guaporé, um afluente localizado a montante das corredeiras, sugerindo algum nível de restrição de fluxo gênico entre as duas áreas. No entanto, os resultados não suportam um efeito das corredeiras com barreira para P. expansa. A recente construção de duas barragens hidrelétricas no rio Madeira, por outro lado, muito provavelmente formou barreiras intransponíveis para P. expansa, interrompendo o fluxo gênico desta espécie entre a parte alta da sub-bacia do rio Madeira e o resto da bacia amazônica. Até 2020, trinta grandes usinas hidrelétricas serão construídas em muitos dos principais afluentes da bacia amazônica, o que irá comprometer a conectividade de P. expansa em uma escala geográfica equivalente a uma grande parte da sua área de distribuição brasileira. As medidas de mitigação para P. expansa afetadas por barragens hidrelétricas existentes se limitam ao manejo de sítios de desova e programas de headstarting. No entanto, o cenário estabelecido pelo desenvolvimento hidroenergético na Amazônia brasileira exige que as medidas de mitigação incluam a preservação da conectividade de tartarugas entre acima e abaixo das barragens, a fim de garantir a integridade genética desta espécie antiga e emblemática.
Abstract: Podocnemis expansa is the largest Amazonian turtle and is distributed throughout the Amazon, Orinoco, and Tocantins/Araguaia river basins. Its distribution pattern is metapopulational, with differences in genetic structure among sub-basins, but maintaining widespread connectivity. Strong white-water rapids are among the natural barriers to aquatic vertebrate dispersal. In the upper Madeira River, one of the main tributaries to the right margin of the Amazon, a sequence of 18 rapids constitutes an impermeable or semi-permeable barrier for several species, from fish to caimans and dolphins. P. expansa were found in between all Madeira rapids surveyed for this study, but capture-recapture was not suitable to estimate gene flow among the rapids in this species. Mitochondrial DNA control region and five nuclear microsatellite loci were analyzed to estimate genetic diversity and connectivity of P. expansa among the rapids, and in relation to other parts of the specie’s distribution area, as well as possible recent population bottlenecks. No genetic evidence was found of a recent decrease in effective population size, despite the species being known to suffer heavy overexploitation in the region since the XIXth century. The most common haplotype througout the species` distribution area also occurred frequently in the upper Madeira, supporting the panmictic structure of the species in the Amazon basin. Three haplotypes were recorded only in the study area, one of them being very abundant among the sampled individuals. The microsatellite loci indicated only one grouping for the upper Madeira region, while mitochondrial DNA indicated five groups, which mixed up indistinctively along the inter-rapids stretches surveyed. Genetic diversity was higher in the upper Madeira than in the Guaporé River, a tributary located upstream from the rapids, suggesting some level of gene flow restriction between the two areas. However, the results do not support a barrier effect of the rapids for P. expansa. The recent construction of two hydropower dams in the upper Madeira River, on the other hand, is very likely to have formed impermeable barriers for P. expansa, interrupting gene flow between turtles in the upland part of the Madeira sub-basin and the rest of the Amazon basin. Until 2020, thirty large hydropower plants will be constructed in many of the main tributaries of the Amazon basin, which will compromise the connectivity of P. expansa on a geographical scale equivalent to a large proportion of its Brazilian distribution area. Mitigation measures for affected P. expansa in existing hydropower dams are limited to the management of downstream egg-laying sites and headstarting programs. However, 11 the scenario laid out by the hydroenergetic development in the Brazilian Amazon requires that mitigation measures include the preservation of connectivity between turtles up and downstream from the dam, in order to ensure the genetic integrity of this ancient and emblematic species.
Palavras-chave: Barreiras artificiais
Genética de populações
Tartaruga da Amazônia
Área(s) do CNPq: CIENCIAS BIOLOGICAS::BIOLOGIA GERAL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Genética, Conservação e Biologia Evolutiva (GCBEv)
Citação: VIEIRA, Camila Paiva. Estrutura genética de Podocnemis expansa (Testudines - Podocnemididae) no alto Rio Madeira e sua implicação na avaliação do impacto das hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio (Rondônia, Brasil). Manaus: [s.n.], 2015. 75 f.. Dissertação (Genética, Conservação e Biologia Evolutiva (GCBEv)) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/1884
Data de defesa: 25-Mai-2015
Aparece nas coleções:Mestrado - (GCBEv)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_ Camila Paiva Vieira.pdf1,31 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons