Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/1912
Tipo do documento: Dissertação
Título: Hematologia e bioquímica sangüínea do boto Vermelho Inia Geoffrensis (de Blainville, 1817)
Autor: Mello, Daniela Magalhães Drummond de 
Primeiro orientador: Silva, Vera Maria Ferreira da
Resumo: Os golfinhos de rio estão entre os cetáceos menos conhecidos e mais ameaçados do mundo. O boto vermelho (Inia geoffrensis) é endêmico e amplamente distribuído nas bacias dos rios Amazonas e Orinoco. Visando aumentar conhecimento sobre a biologia básica e fisiologia do mesmo, o presente trabalho reporta os parâmetros hematológicos e bioquímicos de 109 botos de vida livre da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá. As colheitas foram realizadas durante o mês de novembro de 2004 e 2005. O sangue foi colhido do pedúnculo caudal da nadadeira dorsal, e ocasionalmente dos vasos das nadadeiras peitoral e caudal. Uma comparação entre amostras de soro congeladas foi realizada a fim de averiguar a viabilidade destas após o congelamento por 60 dias a –80°C. Um teste de correlação entre os parâmetros do sangue e a freqüência cardíaca e respiratória foi feito para avaliar o efeito do estresse sobre os parâmetros hematológicos. Poucas diferenças foram encontradas entre machos e fêmeas, com exceção da concentração hemoglobínica corpuscular média (CHCM) e da atividade sérica da fosfatase alcalina, ambas maiores nos machos. Dentre as diferenças observadas entre as classes etárias, os filhotes apresentaram valores mais elevados para quase todos os parâmetros. Animais jovens em fase de crescimento apresentaram caracteristicamente maiores níveis séricos de cálcio e atividade sérica de fosfatase alcalina, ambos associados ao desenvolvimento contínuo dos ossos. Os filhotes também apresentaram maior atividade sérica da creatina quinase (CK), maior porcentagem de linfócitos, e maior número de leucócitos. Este número significativamente mais elevado de leucócitos nos filhotes é um reflexo do sistema imunológico ainda em desenvolvimento. Apenas a velocidade de hemossedimentação (VHS), e a porcentagem de eosinófilos foi maior nos adultos. Fêmeas prenhes apresentaram caracteristicamente níveis séricos mais elevados de quatro elementos envolvidos no metabolismo energético: albumina, amilase, colesterol e triglicérides; e também de uréia, provavelmente como resultado de um maior consumo de proteínas para suprir as demandas energéticas durante a gestação. O congelamento do soro por 60 dias provocou alterações significativas em 13 dos 19 elementos bioquímicos analisados. As atividades séricas de aspartato transaminase (AST), alanina aminotransferase (ALT) e fosfatase alcalina tiveram uma redução de 27%, 23% e 23%, respectivamente. Os níveis séricos de albumina, cálcio, colesterol, ferro, glicose, magnésio e uréia também apresentaram um decréscimo significativo (22%, 40%, 26%,47%, 40% e 48%, respectivamente). Já os níveis séricos de bilirrubina indireta, bilirrubina total e da atividade sérica da gama glutamil transferase (GGT) apresentaram-se maiores após congelamento das amostras por 60 dias. A correlação positiva encontrada entre o número de leucócitos e a freqüência respiratória foi influenciada pelo maior número destas células nos filhotes, bem como a freqüência respiratória naturalmente mais elevada nesta classe etária. Não é possível afirmar que animais aparentemente mais estressados (com freqüência respiratória maior) têm maior número de leucócitos circulantes.
Abstract: The river dolphins are the less known and more threatened cetaceans of the world. The Amazon river dolphin (Inia geoffrensis) is endemic and widely distributed in the Orinoco and Amazon River Basins. Looking forward to improve the knowledge about its biology and physiology, the present study reports hematological and plasma constituents values from 109 wild Amazon river dolphins from Sustainable Development Reserve Mamirauá. The blood samples were done during November of 2004 and 2005. The blood was drawn from the ventral surface of caudal peduncle, and occasionally from the vessels of the caudal fluke and flippers. A comparison between stored samples was done to verify the viability of them after 60 days in a –80°C freezer. Correlation tests between the blood parameters and the cardiac and respiratory frequencies were done to evaluate the effects of stress in blood values. Few hematological and plasma chemical differences were found between males and females, with exception of mean corpuscular hemoglobin concentration (MCHC) and alkaline phosphatase activity, both higher in males. Among age classes, the calves showed the highest values to almost all parameters. Younger, growing animals characteristically showed higher levels of calcium and alkaline phosphatase activity associated with the continued bone development. The calves also had higher creatine phosphokinase activity; higher lymphocyte counts and higher total leucocytes counts. This significant elevated number of leucocytes may be due to the still development immune system of immature animals. Only the erythrocyte sedimentation rate and the eosinophil percentage were higher in adults. Pregnant females showed characteristically higher values of four plasma constituents involved in energetic metabolism: Albumin, amylase, cholesterol, triglyceride; and urea either, probably as a result of higher food consumption in order to supply the energetic requirements during pregnancy. The freezing storage of the serum for 60 days markedly changed 13 of 19 serum plasma constituents. The aspartate aminotrasferase (AST), alanine aminotransferase (ALT) and alkaline phosphatase activities decreased about 27%, 23% e 23%, respectively. The albumin, calcium, cholesterol, iron, glucose, magnesium and urea levels also decreased after freezing (22%, 40%, 26%, 47%, 40% e 48%, respectively). Otherwise, the gamma glutamyl transpeptidase (GGT) activity, and the free and total bilirrubin levels, showed small but significant increase. The positive correlation found between the leukocyte count and the respiratory frequency was induced by the highest number of these cells in immature animals, as well as the naturally elevated respiratory frequency in this age class. It is not possible to affirm that apparently more stressed animals (higher respiratory frequency) have higher number of circulating leucocytes.
Palavras-chave: Inia geoffrensis
Boto vermelho
Hematologia
Bioquímica sangüínea
Área(s) do CNPq: RECURSOS PESQUEIROS E ENGENHARIA DE PESCA::RECURSOS PESQUEIROS DE AGUAS INTERIORES
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Biologia de Água Doce e Pesca Interior
Citação: MELLO, Daniela Magalhães Drummond de. Hematologia e bioquímica sangüínea do boto Vermelho Inia Geoffrensis (de Blainville, 1817). 2006. 112 f. Dissertação( Biologia de Água Doce e Pesca Interior) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, 2006 .
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/1912
Data de defesa: 9-Ago-2006
Aparece nas coleções:Mestrado - BADPI

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Daniela_tesecompleta.pdf2,05 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons