Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/2002
Tipo do documento: Dissertação
Título: Exploração ilegal de madeira no arquipélago de Anavilhanas (Amazônia central): variáveis humanas que determinam a distribuição espacial da exploração e efeitos estruturais sobre os táxons mais explorados
Autor: Scabin, Andressa Bárbara 
Primeiro orientador: Costa, Flávia Regina Capellotto
Resumo: O Parque Nacional de Anavilhanas é uma unidade de conservação amazônica que enfrenta atualmente o desafio de controlar a exploração ilegal de madeira. Por isso é imprescindível a obtenção de informações a respeito da geografia e dos efeitos da exploração sobre as populações alvo dos extratores. Assim, o presente trabalho teve como finalidade determinar (1) as densidades dos táxons explorados e sua distribuição espacial; (2) a distribuição e intensidade da exploração; (3) o efeito da exploração sobre a estrutura das populações desses táxons; (4) as taxas de crescimento das árvores e (5) testou a hipótese de que a distribuição espacial da exploração está relacionada com a distribuição espacial das comunidades humanas residentes na zona de amortecimento do parque e com o valor da madeira. Para isso, foram registrados todos os indivíduos arbóreos com DAP > 10 cm dos 5 táxons mais explorados e os vestígios de exploração, em 84 transectos distribuídos uniformemente pelo arquipélago de Anavilhanas. As taxas de crescimento foram obtidas por análises dendrocronológicas. V. surinamensis e Lauraceae spp. apresentaram modificações na estrutura da população com o aumento de exploração. Como a taxa de crescimento de Ocotea cymbarum (Lauraceae) foi alta, esta espécie pode se recuperar rapidamente caso a pressão de exploração cesse. Para C. brasiliensis não houve evidência de efeito da exploração sobre a estrutura populacional, mas a sua baixa taxa de crescimento e distribuição agrupada sugerem que poderá ser afetada caso a exploração se mantenha. Em M. acaciifolium e Hevea sp. o aumento da exploração não promoveu efeitos negativos em suas populações e, além disso, suas altas taxas de crescimento e grandes densidades indicam que poderiam ser manejadas. A exploração concentra-se na região sul do arquipélago, próximo às concentrações humanas, para a maior parte das espécies, mas não para Lauraceae spp., cuja madeira tem maior valor econômico. Os modelos testados não indicaram relação entre a intensidade de exploração e as distâncias geográficas até as comunidades, mas sim uma tendência de maior intensidade de exploração onde há maior concentração de recursos mais valiosos. Assim, uma estratégia para controle da exploração ilegal no arquipélago de Anavilhanas seria apoiar o manejo florestal nas unidades de conservação que ficam na zona de amortecimento do parque e estimular a concentração do turismo na região sul do arquipélago, já que a presença de turistas pode inibir as atividades ilegais.
Abstract: The Anavilhanas’ National Park is an Amazonian protected area facing nowadays the challenge of controlling illegal logging. To aid this task, this study aimed to determine (1) the densities of the exploited species in this area; (2) the spatial distribution of logging; (3) the effect of logging on population structure; (4) the growth rate of each species and (5) analyze the effects of human communities’ distance and wood value in the logging intensity. All trees with DBH >10 cm of the five most exploited species and the logging vestiges were registered on 84 transects uniformly distributed over the Anavilhanas Archipelago. Growth rates were measured by dendrocronology. Medium and large sized trees (10-30 and > 60cm DBH) of Virola surinamensis and Lauraceae spp (10-30 cm DBH) decreased in abundance as harvesting intensity increased. However, since growth rates of Ocotea cymbarum (Lauraceae) were high, it may recover fast if harvesting pressure stops. There was no evidence of negative effects of harvesting on the population structure of Calophyllum brasiliense, but its low growth rate and grouped distribution suggest that continued exploitation may endanger the population. There were no negative effects of logging for Macrolobium acaciifolium and Hevea spp., and their high growth rates and high abundances indicate that these species have a potential for management. Harvesting is concentrated in the southern region of the archipelago, next to the human concentrations, for most species, except for Lauraceae spp., whose timber is more valuable. The model tested indicated no relationship between the intensity of harvesting activities and the geographic distances to human communities, but a trend to choose harvesting places with greater concentration of more valuable resources. Thus, a strategy to control the illegal logging in the Anavilhanas Archipelago would be to encourage a sustainable logging plan on the buffer zone of the Park and to stimulate tourism on the South of the archipelago, where tourist presence could inhibit illegal activities.
Palavras-chave: Madeira
Espécies florestais
Distribuição espacial
Área(s) do CNPq: SILVICULTURA::PROTECAO FLORESTAL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Biologia (Ecologia)
Citação: SCABIN, Andressa Bárbara. Exploração ilegal de madeira no arquipélago de Anavilhanas (Amazônia central): variáveis humanas que determinam a distribuição espacial da exploração e efeitos estruturais sobre os táxons mais explorados. Manaus: [s.n.], 2010. viii, 58 f.. Dissertação (Biologia (Ecologia)) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/2002
Data de defesa: 17-Nov-2010
Aparece nas coleções:Mestrado - ECO

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Andressa Bárbara Scabin.pdf2,57 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons