Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/2033
Tipo do documento: Tese
Título: Variação osteológica e desenvolvimento ontogenético das espécies do gênero Sotalia (Cetacea, Delphinidae)
Autor: Fettuccia, Daniela de Castro 
Primeiro orientador: Silva, Vera Maria Ferreira da
Resumo: Apesar da existência de importantes trabalhos morfológicos para as duas espécies do gênero Sotalia, é limitado o conhecimento do esqueleto como um todo, considerando a variação ontogenética inter e intraespecífica, geográfica e sexual. Com o intuito de contribuir para um melhor conhecimento osteológico e fornecer subsídios para a conservação foram avaliados 536 sincrânios e 257 pós-crânios parciais e completos de S. guianensis (boto-cinza) de várias localidades da América do Sul (Brasil, Suriname, Venezuela e Colômbia) e 34 sincrânios e 39 pós-crânios de S. fluviatilis (tucuxi) da bacia Amazônica. Os esqueletos foram avaliados em relação a caracteres não-métricos (grau de fusionamento das suturas e formação de estruturas ósseas) e métricos (mandíbula, escápula, nadadeira peitoral, esterno, vértebras e aparato hióide). Foram coletados ainda dados merísticos como número de vértebras, de costelas vertebrais e esternais. Para analisar a sequência cronológica de fusionamento ósseo, as informações de 165 exemplares foram comparadas com suas respectivas idades. Foi observado que S. fluviatilis apresenta atraso no fusionamento de algumas suturas cranianas e pós-cranianas quando comparado com S. guianensis. O desenvolvimento mais lento em S. fluviatilis, somado a forma geral do crânio com menos projeções e cristas, maturidade sexual tardia e ocorrência de forame lacerado anterior geralmente aberto nos adultos, classifica esta espécie como pedomórfica. Para o pós-crânio foram observadas diferenças morfológicas entre as duas espécies relacionadas às medidas do rádio, ulna, basihial, tirohial e estilohial. Para analisar a variação geográfica e sexual, foram avaliados 253 crânios de indivíduos adultos de S. guianensis de diferentes localidades da América do Sul e de 22 exemplares de S. fluviatilis. Os crânios foram analisados em vista dorsal, lateral e ventral utilizando-se como ferramenta a morfometria geométrica. Foi observado que as populações do sudeste e sul do Brasil apresentam semelhança morfológica, o que indica um provável fluxo gênico entre os indivíduos destas localidades. A região norte ao contrário, apresenta uma tendência a divergir das outras populações marinhas, enquanto que a população do nordeste é mais plástica e exceto pela morfologia da vista dorsal, se apresenta de forma intermediária entre as populações do norte e sudeste/sul. De acordo com as deformações geradas pela morfometria geométrica, S. fluviatilis difere de S. guianensis por apresentar o crânio levemente comprimido dorso-ventralmente e o côndilo occipital deslocado ventralmente, além dos nasais e os pré-maxilares deslocados posteriormente em direção a crista supraoccipital. Os pterigóides são mais separados entre si e toda a região basal craniana envolvendo os palatinos, pterigóides e basioccipital parecem ser também deslocados posteriormente em S. fluviatilis. Foi observado dimorfismo sexual na população marinha da região norte (Estado do Amapá, Suriname, Venezuela e Colômbia), com as fêmeas apresentando os nasais deslocados posteriormente, de forma semelhante ao observado na espécie fluvial. Em relação ao tamanho corporal, os indivíduos marinhos da região norte não diferem estatisticamente de S. fluviatilis, evidenciando que os animais desta região são pequenos quando comparados com os exemplares marinhos de outras localidades da costa brasileira. E finalmente, foram avaliados 43 esqueletos completos e parciais de S. fluviatilis, buscando-se variações traumáticas, morfológicas e patológicas. As fraturas foram as alterações mais frequêntes, ocorrendo em diversas regiões do esqueleto como costelas, aparato hióide, processos transversos e neurais das vértebras e escápula. Foram registrados três indivíduos com anquilose entre vértebras cervicais e dois com alterações morfológicas (arco hemal alongado no sentido crânio-caudal e escápula com borda cranial plana). A única patologia encontrada foi um caso de osteomielite no dentário esquerdo, o primeiro registro de osteomielite para a espécie.
Abstract: Despite important morphological studies for both species of the genus Sotalia, knowledge on the skeleton as a whole is still limited, when considering inter and intraspecific, and geographic and sexual ontogenic variation. In order to contribute to a better understanding of the osteology, and to provide subsidy for conservation, 536 syncrania and 257 partial and complete postcranial skeletons of S. guianensis from various locations in South America (Brazil, Suriname, Venezuela and Colombia) were analyzed, in addition to 34 syncrania and 39 postcranial skeletons of S. fluviatilis (tucuxi) from the Amazon basin. The skeletons were evaluated in relation to non- metric (degree of fusion of sutures and formation of bone structures) and metric characters (mandible, scapula, pectoral fin, sternum, vertebrae and hyoid apparatus). In addition, meristic data were collected, including the number of vertebrae, vertebral and sternal ribs. In order to analyse the chronological sequence of bone fusion, information on 165 specimens were compared with their corresponding ages. It was observed that S. fluviatilis showed delay in the fusion of some cranial and postcranial sutures when compared to S. guianensis. The slower development in S. fluviatilis, the general shape of the skull with less projections and crests, late sexual maturity and the occurrence of a generally open lacerate anterior foramen in adults, classify this species as pedomorphic. In the postcranial skeleton, morphological differences were observed between both species, regarding the measurements of the radius, ulna, basihyal, thyrohyal and stylohyal. In order to analyse the geographical and sexual variation, 253 skulls of adult S. guianensis from various locations in South America were analyzed, together with 22 skull specimens of S. fluviatilis. They were observed in dorsal, lateral and ventral views, using geometric morphometry as a tool. It was noted that populations of S. guianensis from the Southeast and South of Brazil showed morphological similarities, which indicates a probable genetic flow between individuals of these regions. The population from the northern region, on the other hand, showed a tendency to diverge from other marine populations. Meanwhile the north-eastern population showed to be more plastic and, with the exception of the dorsal view, it appears to be an intermediate form between populations from the North and Southeast/South. According to the deformations generated by geometric morphometry, S. fluviatilis differs from S. guianensis as it presents a slightly compressed skull in the dorsoventral direction and the occipital condyles are displaced ventrally. In addition, the nasal and premaxilla are displaced posteriorly towards the supraoccipital crest. The pterygoid bones are further separated and the entire basal cranial region that involves the palatines, pterygoid and basioccipital bones also seem to be displaced posteriorly in S. fluviatilis. Sexual dimorphism was observed in the marine population of the Northern region (Amapá state, Suriname, Venezuela and Colombia), with females presenting nasal bones displaced posteriorly, similarly to the fluvial species. In relation to the body size, it was observed that marine individuals of the Northern region do not differ statistically from S. fluviatilis. It therefore confirms that animals of this region show a reduced body size when compared to other marine specimens from other sites of the Brazilian coast. And finally, 43 complete and partial skeletons of S. fluviatilis were evaluated in order to seek traumatic, morphologic and pathologic variations. Fractures were the most frequent alterations, occurring in various regions of the skeleton such as ribs, hyoid apparatus, neural and transverse processes of the vertebrae and scapula. Three individuals were observed with ankylosis between the cervical vertebrae and two individuals with morphological alterations (elongated haemal arch in the craniocaudal direction and scapula with flat cranial edge). The only observed pathology was an osteomyelitis case in the left dentary, the first record of osteomyelitis on this species.
Palavras-chave: Boto
Osteologia de botos
Ontogenia de botos
Área(s) do CNPq: ZOOLOGIA::ZOOLOGIA APLICADA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Biologia de Água Doce e Pesca Interior
Citação: FETTUCCIA, Daniela de Castro. Variação osteológica e desenvolvimento ontogenético das espécies do gênero Sotalia (Cetacea, Delphinidae). Manaus: [s.n.], 2010. xxii, 173 f.. Tese (Biologia de Água Doce e Pesca Interior) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/2033
Data de defesa: 17-Dez-2010
Aparece nas coleções:Doutorado - BADPI

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese_Daniela de Castro Fettuccia.pdf5,22 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons