Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/2578
Tipo do documento: Tese
Título: Dispersão de sementes de Marantaceae: o papel da heterogeneidade ambiental nas interações planta-dispersor e nos padrões de distribuição de ervas de sub-bosque na Amazônia central
Autor: Santana, Flávia Delgado
Primeiro orientador: Costa, Flávia Regina Capellotto
Resumo: Investigamos aspectos da dispersão de sementes de quatro espécies de Marantaceae relacionados à complexidade dos múltiplos dispersores e de uma paisagem heterogênea de terra firme na Amazônia Central. No capítulo 1 comparamos a dispersão de sementes por formigas e grilos entre as espécies de ervas e descobrimos que não há diferença entre o número de sementes removidas por grilos e formigas. Porém grilos removem sementes principalmente no período da noite e tendem a mover as sementes grandes mais longe. Ressaltamos que os grilos, assim como as formigas, podem ter papel importante na dispersão de sementes ariladas. No capítulo 2 utilizamos o framework de efetividade de dispersão (SDE) para comparar o papel de diferentes grupos de dispersores na dispersão e recrutamento das ervas dentro de uma paisagem heterogênea. Perguntamos especificamente se existia relação entre o modo de dispersão atribuído à erva e a contribuição relativa dos diferentes dispersores à efetividade; como a efetividade de dispersão e assembleia de dispersores mudava com relação ao tipo de ambiente; e se existia uma associação entre os locais com maior efetividade, germinação e recrutamento. Encontramos que a dispersão de sementes é realizada principalmente por invertebrados, muitos deles inesperados. Para três das quatro espécies estudadas houve relação entre a síndrome de dispersão atribuída e o grupo dispersor mais efetivo. Entretanto, entre ambientes diferentes, o segundo dispersor mais efetivo pode contribuir desproporcionalmente para o SDE. Além disso, nem sempre o ambiente com maior SDE é também melhor para a germinação e recrutamento. Portanto, os papéis complementares dos dispersores de sementes à escala local de ervas, combinados com as mudanças no padrão de correspondência da SDE e habitat adequado para o recrutamento, devem ajudar a impulsionar a estrutura da comunidade de ervas de sub-bosque dispersas em animais em ambientes heterogêneos tropicais. No capítulo 3 investigamos mudanças na estrutura das populações, padrões de abundância e suas relações com luz e hidrologia, para entender processos de limitação de dispersão e de estabelecimento ao longo de uma paisagem. As ervas com diásporos pequenos foram mais restritas a um tipo de ambiente, sugerindo limitação de dispersão e recrutamento mais associados a ambientes mais iluminados. Ervas com diásporos grandes estiveram mais distribuídas na paisagem sugerindo ausência de limitação de dispersão, e com recrutamento fortemente associado à hidrologia. Portanto, o padrão espacial da paisagem das espécies de ervas emerge da combinação de dispersão e limitação de recrutamento que atuando em diferentes escalas espaciais. Nesta tese, demonstramos que o processo de dispersão de sementes das ervas de sub-bosque é muito mais complexo do que considerado anteriormente e envolve inúmeros dispersores de sementes não antes reconhecidos. A condição de tolerância à sombra das espécies estudadas não está relacionada ao tipo de dispersor de sementes como visto anteriormente. A dispersão é um processo importante para permitir que as espécies estudadas ocupem diferentes habitats, no entanto, os filtros ambientais parecem refinar os padrões de abundância ao longo da paisagem heterogênea.
Abstract: We investigated aspects of seed dispersal of four Marantaceae species related to the complexity of multiple dispersers and a terra firme heterogeneous landscape in Central Amazonia. In Chapter 1 we compared seed dispersal by ants and crickets among herb species and found that there is no difference between the number of seeds removed by crickets and ants. However, crickets remove seeds mainly at night and tend to move large seeds further. We emphasize that crickets, like ants, may play an important role in the dispersion of arilate seeds. In Chapter 2 we used the seed dispersal effectiveness framework (SDE) to compare the role of different disperser groups in the dispersion and recruitment of herbs within a heterogeneous landscape. We specifically asked whether there was a relationship between the seed dispersal assigned to the herb and the relative contribution of the different dispersers to herb SDE; How the SDE and dispersers assemblage changed due to the habitat type; and if there was a match between the SDE, germination and recruitment within habitat types. We found that the seed dispersion is mainly carried out by invertebrates, many of them unexpected. For three of the four species studied there was a relationship between the assigned dispersion syndrome and the most effective group of seed disperser. However, among different habitats, sometimes the second most effective disperser contributed disproportionately to the SDE. In addition, the habitat with higher SDE is not always better for germination and recruitment. Therefore, the complementary roles of seed dispersers at local scale, combined with changes in the match pattern between SDE and the suitable recruitment habitat, should hold the changes in community structure of animal dispersed understory herbs in tropical heterogeneous landscapes. In Chapter 3 we investigated changes in population structure, patterns of abundance and their relationships with light and hydrology, to understand processes of limitation of dispersion and recruitment along a landscape. Herbs with small diaspores were more restricted to one type of environment, suggesting dispersion limitation and recruitment more associated with more enlightened environments. Herbs with large diaspores were more distributed in the landscape suggesting no dispersion limitation, and with recruitment strongly associated with hydrology. Therefore, the landscape spatial pattern of the herb species emerges from the combination of dispersion and recruitment limitation acting on different spatial scales. In this thesis, we demonstrate that the seed dispersal process of understory herbs is much more complex than previously considered and involves numerous seed dispersers not previously recognized. The shade tolerance condition of the species studied is not related to the type of seed disperser as seen previously. Dispersion is an important process to allow the studied species to occupy different habitats; however, environmental filters seem to refine patterns of abundance long the heterogeneous landscape.
Palavras-chave: Sementes
Marantaceae
Dispersão de sementes
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Biologia (Ecologia)
Citação: Santana, Flávia Delgado. Dispersão de sementes de Marantaceae: o papel da heterogeneidade ambiental nas interações planta-dispersor e nos padrões de distribuição de ervas de sub-bosque na Amazônia central. 2017. [117 f.]. Tese( Biologia (Ecologia)) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, [Manaus] .
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/2578
Data de defesa: 5-Out-2017
Aparece nas coleções:Doutorado - ECO

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese Flavia Santana_FINAL.pdf3,12 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons