Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/2744
Tipo do documento: Dissertação
Título: Dinâmica espacial e temporal do fluxo de CO2 do solo em floresta de terra firme na Amazônia Central
Autor: Souza, Juliana Silva de
Primeiro orientador: Luizão, Flávio Jesus
Resumo: O objetivo deste estudo foi determinar a variação espacial e temporal do fluxo de CO2 do solo e sua relação com características físicas e químicas do solo. O estudo foi desenvolvido no período entre março e setembro de 2003, ao longo de um gradiente topográfico e de textura do solo na bacia do rio Cuieiras, Manaus, AM (2°35'21,08" S, 60"06'53,63" W). O fluxo de CO2 do solo foi medido semanalmente em 20 pontos ao longo de um transecto de 850 m, utilizando um analisador de gás por infra-vermelho (EGM-3, PP Systems, U.K.); simultaneamente foram feitas medidas de temperatura e umidade volumétrica do solo. Amostras de solo e liteira para análises de nutrientes e cálculos de estoques foram coletadas em três diferentesépocas: 18 de abril (chuvosa), 05 de julho (transição chuvosa-seca) e 21 de setembro (seca). O fluxo de CO2 do solo apresentou alta variabilidade espacial e sazonal com média total de 5,76 Ilmol CO2 m-2 s~, o menor fluxo (1,07 Ilmol CO2 m-2 S-I) registrado nos solos do baixio, e o maior (12,94 Ilmol CO2 m-2 S-I) na vertente, ambos na estação chuvosa. A vertente apresentou os maiores valores, porém, na época seca os fluxos medidos nos solos do baixio aumentaram a ponto de se tornarem similares aos da vertente. Houve uma relação diretamente proporcional entre o fluxo de CO2 do solo e temperatura, entretanto com a umidade volumétrica, a relação foi inversamente proporcional. Em geral, foram observadas melhores relações entre fluxo e características químicas nos solos de platô; por exemplo, a relação com o P disponível apresentou o melhor coeficiente de determinação (0,52). Por outro lado, as melhores relações com temperatura e umidade volumétrica foram observadas nos solos do baixio. Uma vez que o aumento da temperatura do solo eleva o fluxo de CO2, e a redução da umidade ocasiona um acréscimo considerável do fluxo no solo do baixio, a escassez de chuvas sob a floresta pode proporcionar um aumento na emissão de CO2 para a atmosfera, e conseqüente redução do estoque de carbono nos solos do baixio.
Palavras-chave: Ciclo do carbono
Dióxido de carbono
Solos -- Amazônia
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Ciências de Florestas Tropicais (CFT)
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/2744
Data de defesa: 2005
Aparece nas coleções:Mestrado - CFT

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
juliana silva.pdf4,56 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.