Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/2840
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorSouza, Maria Eliane Ramos Ferreira de-
dc.contributor.advisor1Santos, Joaquim dos-
dc.date.accessioned2019-05-06T15:46:34Z-
dc.date.issued2004-
dc.identifier.urihttps://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/2840-
dc.description.resumoO presente trabalho apresenta os resultados do estudo da distribuição diamétrica em floresta tropical úmida, sob diferentes níveis de exploração, localizada na Estação Experimental de Silvicultura Tropical INPA/Amazonas, Brasil. O experimento foi instalado entre as coordenadas geográficas de 02º 37' a 02º 38', latitude sul e 60º 08' a 60º 09' de longitude oeste. A importância do estudo está relacionada com as estimativas de crescimento e produção na tomada de decisões para o manejo florestal. Teve como objetivo avaliar a distribuição diamétrica de uma floresta tropical úmida de terra-firme manejada experimentalmente, após 15 anos de sua intervenção. Este experimento foi conduzido em uma área de 72 ha com 4 tratamentos executados em diferentes níveis de intensidade: TO - tratamento controle (parcela não explorada); T1- tratamento 1 (redução de 32% da área basal); T2- tratamento 2 (redução de 42% da área basal); T3­tratamento 3 (redução de 69% da área basal) e 3 repetições B1, B2 e B4, correspondentes aos blocos do experimento. Foram medidas todas árvores com DAP maior ou igual a 10 cm de diâmetro. Para análise estatística foi utilizada a função Weibull pelo método de percentis (PERC) e para verificar a compatibilidade entre os dados observados e esperados da distribuição diamétrica foi aplicado o teste do X² (Qui-Quadrado). Os resultados mostram que a estrutura dos Dap's da floresta segue a forma típica de J­ invertido, com valores decrescentes de número de árvores à medida que aumenta o tamanho das classes diamétricas, o que é uma característica das florestas tropicais. Ao comparar os tratamentos, verificou-se que as estimativas do teste X²: foi não-significativa, com exceção da comparação T0-T3. Por conseguinte, a redução de 69% de área basal (T3) modificou significativamente a estrutura diamétrica da floresta. Com a análise dos resultados conclui-se que a predição da estrutura diamétrica da floresta, pela aplicação do modelo de função de probabilidade Weibull foi acurada (podendo utilizar a projeção da função para predizer o número de indivíduos desta floresta, pois a freqüência observada da floresta não foi muito diferente da freqüência esperada determinada pela função Weibull).por
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2019-05-06T15:46:34Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2004eng
dc.languageporpor
dc.publisherInstituto Nacional de Pesquisas da Amazôniapor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsINPApor
dc.publisher.programCiências de Florestas Tropicais (CFT)por
dc.subjectDistribuição diamétrica (Estatística)por
dc.subjectEstrutura de floresta -- Manaus (AM)por
dc.subjectFunção Weibullpor
dc.subjectManejo florestal -- Manaus (AM)por
dc.subjectExploração florestal -- Manaus (AM)por
dc.titleInfluência de diferentes níveis de exploração na distribuição diamétrica de uma floresta tropical úmidapor
dc.typeDissertaçãopor
Aparece nas coleções:Mestrado - CFT

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
maria eliane ramos ferreira.pdf6,26 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.