Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/3040
Tipo do documento: Dissertação
Título: Aspectos ecológicos em plantios com espécies de interesse silvicultural para o reaproveitamento de capoeiras
Autor: Irmão, Marilane Nascimento
Primeiro orientador: Vieira, Gil
Resumo: Avaliar os aspectos ecológicos dentro de plantios mistos em áreas degradadas surge da necessidade em recuperar estes ecossistemas tornando-os produtivos. Manejar os recursos de forma sustentável ainda é um grande desafio; os caminhos para vencer esse desafio incluem certamente a contribuição científica. Neste sentido, estudos que busquem entender a dinâmica dos mecanismos envolvidos na regeneração são de grande importância na recuperação da biodiversidade e das funções ecológicas das áreas florestadas da Amazônia. Este estudo teve como objetivo caracterizar aspectos ecológicos de espécies em plantios de recuperação de áreas degradadas, que sofreram perturbação antrópica. Foi conduzido no Município de Presidente Figueiredo - Amazonas, no km 28 da estrada de Balbina, seguindo mais 7 km de estrada vicina, dentro da comunidade Cristo Rei do assentamento Uatumã, com coordenadas geográficas 1º 00' e 2º 00'S e 59º 20' e 60º 30'W, em uma área de um hectare (1 ha) de plantio misto com Pau-de-balsa (Ochroma pyramidale Cav. Ex Lamb. Urb) e Mogno (Swietenia macrophylla King), sendo que um lado foi adubado com NPK (4:14:17) adicionado calcário dolomítico na proporção de 3:1 no ato do plantio (150g/cova). Foram sorteadas 120 amostras seguindo os princípios da casualização, com 30 repetições e foram mensurados todos os indivíduos regenerando com altura = a 5 cm próximos às espécies centrais. As coletas foram realizadas em dois momentos: período chuvoso (janeiro/2002) e período menos chuvoso (outubro/2002). No período chuvoso a área amostrada apresentou um total de 5729 indivíduos colonizadores para o pau-de-balsa (com e sem adubação) e 5932 para o mogno (com e sem adubação). A composição da regeneração natural ficou distribuída em 122 espécies e 46 famílias. A espécie colonizadora mais densa e freqüente para o pau-de-balsa adubado e não adubado foi a trema (Trema micrantha), representando 25,51% dos indivíduos encontrados na área adubada. Para as colonizadoras próximas ao mogno adubado a mais densa foi o capim-roxo (P. conjugatum) representando 25,98% das colonizadoras. Para as colonizadoras próximas ao mogno não adubado a espécie mais abudante foi a trema (T. micrantha) com 17,93%. No período menos chuvoso, um ano e três meses após o plantio, a área amostrada apersentou um total de 2635 indivíduos colonizadores para o pau-de-balsa (adubado e não adubado) e 3804 para o mogno (adubado e não adubado), distribuídos em 144 espécies e 50 famílias. A colonizadora mais abundante próxima ao pau-de-balsa adubado foi a vassoura-de-botão (Scoparia dulcis) representando 15,94% no lado adubado e 28,89% no lado não adubado. E as colonizadoras mais abundantes próximas ao mogno foram vassoura de botão (S. rugosum) com 12,52% no lado adubado e papoã (Homolepis aturensis) com 24,17% no lado não adubado. O teste F não foi significativo para o número de indivíduos colonizadores, pois adubar a área no ato do plantio não influenciou na regeneração natural e nem no estabelecimento de novas espécies.
Palavras-chave: Ecologia florestal
Regeneração natural
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Ciências de Florestas Tropicais
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/3040
Data de defesa: 2003
Aparece nas coleções:Mestrado - CFT

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
marilane.pdf6,47 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.