Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/3091
Tipo do documento: Dissertação
Título: Diversidade e distribuição de cupins (Insecta: Isoptera) em uma floresta primária e em reflorestamentos com árvores nativas em Porto Trombetas, Oriximiná, Pará-Brasil
Autor: Acioli, Agno Nonato Serrão 
Primeiro orientador: Oliveira, Elisiana Pereira de
Resumo: Fez-se uma avaliação nos reflorestamentos com árvores nativas e floreta primária da Mineração Rio Norte S/A (MRN), para determinar a diversidade e a distrbiuição de espécies de cupins em reflorestamentos com diferentes idades. As áreas selecionadas foram cinco reflorestamentos da década de 1980 (1983/84/85/86/87), cinco reflorestamentos da década de 1990 (1993/94/95/96/97) e uma floresta primária adjacente. Os reflorestamentos da Mineração estão localizados em Porto Trombetas (1º40'S, 56º27'W), no município de Oriximiná, Pará. O delineamento experimental consistiu na demarcação de três parcelas de 10 X 50m, em cada área selecionada. Foi obtido um total de 56 espécies de cupins, distribuídas em três famílias: Termitidae, Rhinotermitidae e Kalotermitidae. Termitidae contém 91% do total das espécies, sendo a sub-família Nasutitermitinae a mais abundante e encontrada em todas as áreas estudadas. Quanto a distribuição das espécies nas áreas de estudo, 36 e 33 espécies foram encontradas nos reflorestamentos da década de 1980 e 1990, respectivamente. Na floresta primária, registrou-se um total de 25 espécies; enquanto no reflorestamentos o maior número de espécies foi encontrado nos reflorestamentos de 1993 (22) e 1994 (21). O gênero Nasutitermes parece ser um dos primeiros a colonizar as áreas reflorestadas, juntamente com Heterotermes tenuis; Syntermes, possivelmente, coloniza os reflorestamentos depois de um determinado período, quando estes já apresentaram condições ecológicas. Das seis sub-famílias encontradas nos reflorestamentos e floresta primária. Nasutitermitinae dominou, exceto nos reflorestamentos de 1983 a 1995, onde dominou Termitinae. Em Porto Trombetas, os cupins foram encontrados em sete sítios de ocorrência, dos quais a interface madeira/solo (MS) dominou com 39,29% das espécies. A maioria das espécies são xilófagas (31). Mas, também, ocorrem espécies humívoras (15), intermediária (08) e comedoras de folhas (02). Xilófago é o principal e o mais abundante grupo alimentar encontrado na floresta Amazônica e, neste estudo, está representado principalmente por espécies do gênero Nasutitermes. A análise da termitofauna através do Índice de Sorensen, peermiti dividir as espécies de cupins em três grupos, deixando claro a existência da sucessão de grupos nos reflorestamentos. O empreendimento da MRN, em reflorestar as áreas degradadas, com árvores nativas, está conduzindo as áreas a um processo de reabilitação rápida do impacto no solo, o que favorece a colonização das novas áreas pelos cupins.
Palavras-chave: Térmitas
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Sigla da instituição: INPA
Departamento: Coordenação de Pós Graduação (COPG)
Programa: Entomologia
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: https://bdtd.inpa.gov.br/handle/tede/3091
Data de defesa: 2001
Aparece nas coleções:Mestrado - ENT

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
agno.pdf9,72 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.